Segurança

Motorista que atropelou estudante em Matinhos presta depoimento à polícia: “atravessou do nada”; assista

Uma das suspeitas da polícia é que o motorista estava embriagado no momento da colisão, mas como ele foi detido apenas dias depois, ainda não é possível confirmar essa hipótese

Daniela
Daniela Borsuk com informações do repórter William Bittar, da RIC Record TV Curitiba
Motorista que atropelou estudante em Matinhos presta depoimento à polícia: “atravessou do nada”; assista
(Foto: Reprodução/ Polícia Civil)

3 de agosto de 2021 - 14:37 - Atualizado em 3 de agosto de 2021 - 14:37

Anderson Blank Joska, o suspeito de atropelar a estudante Pamela Vaz em Matinhos, no Litoral do Paraná, foi ouvido pela Polícia Civil na tarde desta segunda-feira (2). Em depoimento, o homem afirmou que deixou o local do acidente sem prestar socorro à vítima pois ficou com medo de ser agredido e que a jovem teria atravessado “do nada” na frente do veículo. Uma das suspeitas da delegada Sâmia Cristina Coser, que investiga o caso, é que o motorista estava embriagado no momento da colisão, mas como ele foi detido apenas dias depois, ainda não é possível confirmar essa hipótese.

Ao ser questionado como tudo aconteceu, Anderson contou que não se lembra da velocidade do veículo no momento do acidente, mas que não estava em alta velocidade. Ainda, afirmou que sua esposa e a filha estavam no carro e que ficaram preocupadas com a batida.

“A minha filha começou a ficar desesperada no carro, a minha mulher também, daí eu com medo dos caras, tipo, na hora que bateu ali, fiquei com medo dos caras me matarem ali, me baterem, porque os caras fazem isso, né. Foi onde eu estava vindo reto que a mulher atravessou na minha frente, vieram dois carros assim e quando eu vi ela atravessou. […] ela atravessou do nada, tem nas filmagens.”

disse Anderson em depoimento.

Veja alguns trechos do depoimento de Anderson para a Polícia Civil:

O motorista também disse que não fez uso de bebidas ou entorpecentes no dia do acidente. No entanto, a delegada Sâmia ainda está tentando comprovar esta afirmação.

“Nós desconfiamos que ele possa ter feito ingestão de bebida alcoólica e, por esse motivo, não parou para prestar socorro. Como ele não foi preso naquele momento, imediatamente, e submetido a um exame pericial que mostrasse isso, não é possível neste momento a gente afirmar que ele estava embriagado”.

disse a delegada de Matinhos.

O motorista está respondendo em liberdade por uma outra denúncia do Ministério Público do Paraná e é acusado de matar um homem em Guaíra, no Oeste do Paraná. O julgamento do caso ainda não foi realizado. Agora, Anderson deve responder por homicídio culposo em acidente de trânsito.

“Ele vai responder por homicídio culposo em acidente de trânsito com uma causa de aumento que é a omissão de socorro. Além disso, ele vai responder por ter se evadido do local de acidente, porque existe um crime específico para isso. Ele já foi indiciado por estes dois delitos.”

explicou a delegada.