Segurança

Motoboy atropelado por carro desgovernado recebe alta em Curitiba

O acidente aconteceu na madrugada do dia 12 de junho, na Av. Sete de Setembro, no bairro Rebouças; a motorista está presa

Laura
Laura Luzzi / Estagiária com informações de Thais Travençoli, da RIC Record TV, e supervisão de Daniela Borsuk
Motoboy atropelado por carro desgovernado recebe alta em Curitiba
(Foto: RIC Record TV)

22 de junho de 2021 - 15:11 - Atualizado em 22 de junho de 2021 - 15:12

Após 10 dias internado, o motoboy atingido por um carro desgovernado recebeu alta do hospital na manhã desta terça-feira (22). Mozart Martins, de 32 anos, foi atropelado por um veículo que cruzou a canaleta exclusiva de ônibus, passou por cima da calçada e atingiu o motociclista.

O acidente aconteceu na madrugada do dia 12 de junho, na Av. Sete de Setembro, no bairro Rebouças, em Curitiba. Testemunhas afirmam que Cassiane Aparecida Aires, de 25 anos, condutora do veículo, estava embriagada no momento do acidente. Ela fugiu sem prestar socorro à vítima.

Mozart, que teve várias fraturas pelo corpo, deixou o hospital emocionado e contou à equipe do Balanço Geral que após o acidente só conseguia pensar no filho. Apesar da recuperação, o motoboy também relatou que segue muito assustado com o ocorrido.

“Eu estava dormindo, quando as moças que limpam o quarto ligaram uma máquina que fazia barulho de pneu derrapando. Aí eu acordei assustado e entrei em estado de choque”

contou Martins

Perguntado sobre a motorista do carro que provocou o acidente ele afirmou que espera que a justiça seja feita.

“Não tem dinheiro, não tem nada que traga minha paz e meu psicológico de novo”

concluiu o motoboy

Veja o vídeo do acidente:

Motorista presa

Cassiane está presa desde a última quinta-feira (17), quando se apresentou na Delegacia de Delitos de Trânsito (Dedetran). Um dia depois, ao prestar depoimento, ela preferiu manter silêncio e não dar sua versão ao delegado Leonardo Carneiro, responsável pela investigação.

Na segunda-feira (21), a motorista teve a fiança arbitrada em 40 salários mínimos. No entanto, sua defesa alegou que ela não possui a quantia necessária e solicitou à Justiça a substituição do valor por outra obrigação, que venha acompanhada de um alvará de soltura. O pedido deve ser analisado em até 48h.

Investigação

Diversas testemunhas já foram ouvidas pelo delegado, entre elas, as duas passageiras que estavam no carro com Cassiane no momento da colisão, dois homem que estavam com as amigas pouco tempo antes em um bar e uma pessoa que presenciou o acidente da sacada de seu apartamento.

“Foi ouvido ontem uma outra testemunha que nos relatou que ele estava fumando na sacada de seu apartamento, quando conseguiu visualizar o acidente. Ele percebeu que ela veio em alta velocidade, atravessou a canaleta expressa do ônibus e deu uma informação fundamental para o nosso procedimento: o fato que ele relatou que após essa colisão, ele ouviu o barulho de giro do veículo aumentar, demonstrando realmente a intenção dela de fugir do local o mais rápido possível”, 

conta Carneiro.

As mulheres afirmaram que beberam, junto com a motorista, quatro garrafas de vinho em um bar e que elas estavam dormindo no carro, acordando apenas no momento da colisão. Ainda segundo o relato, cerca de quatro quadras depois do acidente, já na Avenida Iguaçu, Casssiane parou o carro e desmaiou ao volante.

Já os dois homem contaram à polícia que conheceram as três mulheres no bar e, na sequência, pegaram carona até o local onde haviam estacionado o carro. No entanto, após Cassiane entrar na contramão em uma rua digerir em alta velocidade, pediram que ela deixasse o veículo e fosse para casa com um carro de aplicativo devido ao seu estado de embriaguez. Segundo eles, o pedido foi interpretado como uma grosseria, houve um desentendimento e os dois acabaram descendo antes de chegarem no destino.

Câmeras de segurança divulgadas com exclusividade pelo programa Balanço Geral, da RIC Record TV Curitiba, mostram a motorista bebendo no estabelecimento e, na sequência, saindo na direção do veículo. Nas imagens, é possível perceber que Cassiane teve dificuldade de arrancar com o carro e saiu do estacionamento de forma brusca.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.