Caroline
Caroline Berticelli / Editora

18 de junho de 2019 - 00:00

Atualizado em 18 de junho de 2019 - 00:00

Notícias

Pai do menino atacado por cachorro poderá ser penalizado pela morte do filho

Pai do menino atacado por cachorro poderá ser penalizado pela morte do filho
O menino foi atacado pelo cachorro enquanto o pai tomava banho. (Foto: Reprodução/RICTV)

O pai do menino atacado pelo cachorro da família poderá responder criminalmente pelo caso, segundo o  delegado Matheus Laiola, da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente. A criança foi morta pelo cachorro no quintal da residência enquanto ele tomava banho no início da noite desta segunda-feira (18) no bairro Pilarzinho, em Curitiba.

O homem prestou depoimento na manhã desta terça-feira (18) e foi liberado para tratar do sepultamento do filho que deve acontecer nas próximas horas. Nesse primeiro momento, a polícia entendeu que o sofrimento do pai pela perda da criança é maior do que qualquer punição, mas o caso será investigado e avaliado por um juiz. Conforme Laiola, é o magistrado quem decidirá se o pai será responsabilizado ou se irá receber o “perdão judicial”.

Muito abalado, o homem foi procurado pela equipe da RICTV Curitiba | Record PR, mas não quis falar com a imprensa sobre o assunto.

O menino foi atacado pelo cachorro enquanto o pai tomava banho

Douglas da Silva Moraes, de 2 anos, estava na casa do pai – que é divorciado da mãe – quando o incidente aconteceu. Ao todo, três rottweilers ficavam presos no pátio.

De acordo com Camila Ceconello, delegada responsável pelas investigações, o pai do menino atacado pelo cachorro não viu o rottweiler avançar no filho porque estava tomando banho. “Ele não escutou nada. Ele estava tomando banho com a porta fechada, a criança saiu… Então ele relata que não escutou nada em momento algum. Ele se vestiu dentro do banheiro, e quando saiu para encontrar a criança que ele tinha deixado deitada brincando  no sofá da sala, não encontrou mais o bebê. Depois ele foi encontrar só ali no quintal”, explicou.

O menino atacado pelo cachorro foi levado a uma UPA, mas não sobreviveu.

O menino atacado pelo cachorro foi levado a uma UPA, mas não sobreviveu. (Foto: Reprodução/RICTV)

Na sequência, o homem teria começado a gritar por socorro, mas antes que vizinhos chegassem com um carro, ele saiu correndo com o filhos nos braços até a Unidade de Saúde do Vista Alegre, a cerca de 300 metros da residência. No entanto, Douglas não resistiu aos ferimentos e perdeu a vida no local.

Rottweiler que provocou a morte da criança

O cachorro que atacou o menino foi recolhido ao centro de zoonoses da capital. “A legislação, ela prevê que esse tipo de raça, é considerada uma raça feroz. Então, se pessoa omite na cautela da guarda desses animais, ela responde por uma infração penal, pode ser presa por causa disso e o cachorro recolhido para alguma instituição que dê  cuidado devido […] As pessoas que adquirem esse tipo de raça tem que ter uma cautela especial em relação a guarda e manutenção desse tipo de raça”, explicou Laiola.

O delegado também fez questão de ressaltar que, por dia, são feitas várias denúncias sobre animais violentos soltos pelas ruas de Curitiba e os proprietários são os responsáveis por um eventual ataque.“Se realmente ele teve o objetivo de utilizar o cachorro pra matar essa pessoa, ele responde por homicídio. Se ele não teve esse dolo, pode ser que ele responda por homicídio culposo, ou se ele não tem a culpa em relação a isso, então, ele não pode ser penalizado”, finalizou.