Segurança

Marido que matou e enterrou mulher revela que enviou mensagens para mãe da vítima após o crime

Homem fingiu ser a mulher, entretanto Ana Paula já estava morta

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais reportagem da RIC Record TV Curitiba
Marido que matou e enterrou mulher revela que enviou mensagens para mãe da vítima após o crime
Ana Paula e Adriano (FOTO: REPRODUÇÃO/ REDES SOCIAIS)

4 de janeiro de 2021 - 09:30 - Atualizado em 4 de janeiro de 2021 - 09:30

Adriano Meinster, que foi preso neste domingo (3), após confessar que matou e enterrou a mulher em Fazenda Rio Grande, na Região Metropolitana de Curitiba, prestou depoimento à Polícia Civil. Na conversa, o homem revelou que após o crime, pegou o celular da esposa e enviou mensagem para o telefone dele e também para a mãe da vítima, fingindo ser a mulher.

A suspeita é que o envio das mensagens era para despistar as investigações. “No desespero acabei fazendo isso”, declarou o suspeito.

Apesar de confessar o crime na delegacia, Adriano disse que não sabe como cometeu. O homem também confirmou a versão da amante, que eles teriam viajado para ‘esfriar’ a cabeça.

Neste domingo Adriano foi preso em flagrante. O homem deve ser indiciado por feminicídio, fraude processual e ocultação de cadáver.

Corpo encontrado

A Polícia Civil do Paraná encontrou o corpo Ana Paula Proença Almeida, de 25 anosque estava desaparecida desde o dia 21 de dezembro. Ela foi encontrada neste domingo (3), após o ex-marido, Adriano Meinster, de 35 anos, ter confessado o assassinato da ex-mulher.

O corpo de Ana Paula Proença Almeida estava enterrado em um paiol nos fundos da casa do casal, em Fazenda Rio Grande, na região metropolitana de Curitiba. Adriano Meinster foi preso. A defesa dele alega que o acusado vai colaborar com a investigação.

De acordo com o delegado Ademair Braga, Adriano Meinster disse que tudo aconteceu depois de uma discussão por causa de mensagens de celulardo marido com uma amante. O delegado ainda falou que Ana Paula Proença Almeida foi morta asfixiada.

O filho de dois anos estava em casa no momento do crime.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.