Segurança

Mãe que matou o filho disse que havia sido assaltada antes de confessar o crime

A mulher disse à polícia que matou o filho de 3 anos asfixiado; o crime teria ocorrido durante um surto psiquiátrico

Caroline
Caroline Berticelli / Editora
Mãe que matou o filho disse que havia sido assaltada antes de confessar o crime
Foto: Reprodução/RIC Record TV

30 de setembro de 2020 - 13:41 - Atualizado em 30 de setembro de 2020 - 15:12

A mãe que matou o próprio filho em uma área de mata da Cidade Industrial de Curitiba, nesta terça-feira (29), chegou a dizer para moradores da região que havia sido assaltada antes de confessar o crime. 

Conforme uma testemunha, Caroline Carrilho Corrêa, de 29 anos, pediu socorro após tentar cometer suicídio e não conseguir. 

“Ela chegou para o vizinho e falou que tinha sido assaltada, esfaqueada e que tinham jogado ela no rio. Ela estava toda molhada. Só que esfaqueada como? No pulso? Era óbvio que tinha sido tentativa de suícidio”, disse Maria Eunice. 

A mulher também contou que o pai da criança e marido de Caroline foi ao local onde o corpo do pequeno Isaac foi encontrado ainda na terça. Conforme seu relato, o homem, que até o momento preferiu não gravar entrevista, estava transtornado. 

“Ele chegou bem transtornado, gritando ‘por que meu Deus?’ Meu filho, por que ela fez isso’. Ele gritava dava para ouvir lá em cima na minha casa o desespero do pai”, completou Maria. 

Entenda como a mãe matou o filho

As informações preliminares apontam que Caroline saiu com o filho de casa no bairro Portão, na capital, de táxi durante a tarde. Ela teria ido direto ao local onde o corpo do menino foi localizado.

A polícia procura pelo motorista do táxi que poderá ajudar a esclarecer parte do ocorrido e relatar como a mãe e filho se comportaram durante a corrida.

A área de mata onde a mãe matou o filho fica próxima à BR-277. (Foto: Reprodução/RIC Record TV)

A mãerevelou que havia matado o filho quando já estava dentro da viatura do Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência (Siate), chamado pelas pessoas as quais ela pediu ajuda. 

De acordo com a polícia, ela confessou que utilizou as mãos para matar Isaac asfixiado e, na sequência, colocou o corpo dentro de um saco plástico junto com um ursinho de pelúcia. Logo depois, tentou tirar a própria vida cortando os pulsos.

Segundo o advogado Igor Ogar, que representa a mãe que matou o filho, ele ainda não conseguiu falar com Caroline que permanece internada no Hospital do Trabalhador. 

“Por enquanto ela está sob escolta policial, ainda sob atendimento médico, psiquiátrico e também físico. Nós temos informações preliminares, dando conta conta de que ela realmente teve um surto, porém ainda sem uma definição clínica maior”, pontuou Ogar.

Assista à reportagem: