Segurança

Júri popular decidirá caso de caminhoneiro acusado de ter assassinado travesti de 24 anos

Denúncia aponta que acusado teria assassinado travesti após recusar pagamento de programa, em Sarandi

Wilame
Wilame Prado / Repórter
Júri popular decidirá caso de caminhoneiro acusado de ter assassinado travesti de 24 anos
Patrícia Rafaela dos Santos foi atropelada e morta em 2019. (FOTO: Arquivo pessoal)

27 de maio de 2021 - 08:54 - Atualizado em 27 de maio de 2021 - 11:46

Está marcado para às 9 horas desta quinta-feira (27), em Sarandi, na região Noroeste do Paraná, o júri popular do motorista de caminhão Murilo Eduardo Rolemberg Guimarães, acusado de ter atropelado e matado a travesti Patrícia Rafaela dos Santos, no dia 30 de março de 2019. A vítima tinha 24 anos de idade quando foi assassinada.

As investigações apontam que a motivação do crime se deu porque o acusado teria se negado a pagar o valor combinado pela relação sexual. Pelos relatos de testemunhas e imagens de câmeras, a polícia identificou a carreta bi-trem utilizada no atropelamento.

O acusado foi preso cerca de um mês depois da data do crime, no interior da Bahia.

Relembre o caso

Na madrugada de 30 de março de 2019, a travesti Patrícia Rafaela dos Santos, moradora de Sarandi, foi brutalmemte atropelada por um caminhão dirigido por Murilo Eduardo Rolemberg Guimarães, de 46 anos. Ele teria se recusado a pagar por um programa.

O acusado empurrou a vítima do caminhão, atropelou-a e levou os pertences dela sem prestar nenhum socorro. A travesti morreu no local.

A Justiça mandou a júri popular o caminhoneiro em decisão da 1ª Vara Criminal do município publicada em 10 de março de 2020.

O advogado do caminhoneiro defende que o atropelamento não foi proposital.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.