Segurança

Jovem que recebeu carta anônima pedindo para que ela usasse ‘roupas decentes’ resolve se mudar de prédio

Ana Paula Benatti diz que se mudou para não ter que passar por situações como a da carta anônima

Wilame
Wilame Prado / Repórter
Jovem que recebeu carta anônima pedindo para que ela usasse ‘roupas decentes’ resolve se mudar de prédio
Ana Paula Benatti denunciou caso de difamação em condomínio residencial em distrito de Maringá. (FOTO: Arquivo pessoal)

31 de maio de 2021 - 10:29 - Atualizado em 31 de maio de 2021 - 10:32

A jovem Ana Paula Benatti, de 22 anos, que denunciou uma situação de constrangimento após ter recebido uma carta anônima pedindo para usar roupas “decentes” no condomínio residencial em Iguatemi, distrito de Maringá, resolveu mudar de endereço no último sábado (29).

Em suas redes sociais, Ana Paula comentou que precisaria se mudar para um casa para cuidar melhor dos cachorros dela, mas também disse que a decisão envolve buscar mais segurança e garantir que situações como a da carta anônima não se repitam.

Na noite de domingo (30), em alguns stories do Instagram, a jovem relatou outra situação desagradável envolvendo o condomínio residencial onde morava: segundo relato dela, alguém a excluiu do grupo de WhatsApp do prédio e depois vários moradores tiraram sarro dela, talvez imaginando que ela não veria mais as mensagens.

Como ela ainda não entregou o apartamento, Ana Paula se sentiu no direito de continuar no grupo no aplicativo de mensagens. Os administradores pediram desculpas e colocaram o contato dela novamente no grupo, de acordo com o relato dela na rede social.

Após boletim de ocorrência, o caso de Ana Paula Benatti segue na delegacia, que investiga o suposto autor ou autora da carta anônima.

Repercutiu

Após publicação no RIC Mais relatando o caso da jovem que se sentiu ameaçada em uma carta anônima com tons machistas, pedindo para que ela se vestisse decentemente no condomínio residencial, o caso repercutiu em todo o País, sendo também noticiado nos mais diferentes sites de notícias, rádios e emissoras de TV.

Com toda essa repercussão, atualmente Ana Paula Benatti recebe diversas mensagens de apoio de outras mulheres, que se identificaram com a história dela, afirmando que também já passaram pela mesma situação, sendo vítimas de atitudes machistas e até de violência doméstica.

O caso acontenceu no dia 7 de maio, quando ela encontrou uma carta debaixo de sua porta, em que um remetente anônimo pede para ela deixar de usar roupas curtas no espaço social do prédio.

Anexa ao Boletim de Ocorrências lavrado na 9ª Subdivisão Policial (SDP), em Maringá, no dia 11 de maio, a carta pede “pudor e decência de usar roupas adequadas das dependências do condomínio… a senhora não está tendo o respeito usando roupa vulgar”, consta.

Postagem de Ana Paula Benatti com a carta anônima que foi deixada em seu apartamento no dia 7 de maio. (FOTO: Arquivo pessoal)

Ainda conforme a carta, o vizinho disse ter se sentido incomodado por ser “homem e pai de família”, afirmando ainda ter sentido vergonha de sair com a filha dele no espaço social do prédio.

“Mude o jeito de se portar neste lugar ou vamos conversar com a dona do apartamento. Aqui não é zona, não”,

ameaça, ainda, o autor da carta anônima.

“Eu não sei o dia exato que o tal vizinho me viu, mas os dias que eu saí, estava de short de tecido e blusinha de alça. Isso é algum crime?”, questionou, à época, Ana Paula, que trabalha como escriturária em um hospital de Maringá e se mudou recentemente para o condomínio residencial localizado no distrito de Iguatemi.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.