Segurança

Irmãos são presos por suspeita de assassinato; vítima permanece desaparecida

A polícia acredita que Pedro Ismael Matozo, desaparecido há sete meses, foi morto e teve o corpo escondido pelos irmãos

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais com reportagem de Lúcio André da RIC Record TV, Curitiba
Irmãos são presos por suspeita de assassinato; vítima permanece desaparecida
Foto: Reprodução/RIC Record TV

25 de novembro de 2020 - 15:03 - Atualizado em 25 de novembro de 2020 - 15:03

Dois irmãos, de 22 e 29 anos, foram presos em Tijucas do Sul, na Região Metropolitana de Curitiba, por suspeita de participação no desaparecimento de Pedro Ismael Matozo, de 49 anos. A vítima sumiu no dia 6 de abril, após sair de casa no bairro Abranches, na capital. 

Segundo a Polícia Civil, Pedro foi visto com vida pela última vez ao lado dos irmãos. Além disso, no momento da prisão, ambos apresentaram um álibi falso, o qual foi logo invalidado pelos investigadores. 

A motivação do assassinato de Pedro seria um desacordo comercial sobre a venda de um sobrado localizado Almirante Tamandaré, na Região Metropolitana de Curitiba. Embora os dois neguem o crime, a delegada responsável pelo caso disse não haver dúvidas sobre o que aconteceu. 

“Há indícios suficientes de que os dois irmãos tenham sido realmente autores de um possível homicídio. Porque ele [Pedro] desapareceu faz mais de sete meses e houve, segundo testemunhas, uma discussão entre um dos possíveis autores contra a vítima”, declarou Tathiana Guzella, Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). 

Em julho, a filha de Pedro procurou o programa Balanço Geral Curitiba na esperança de que alguém pudesse ajudar a descobrir o paradeiro de seu pai. Na ocasião, Priscielly de Souza Matozo chegou a dizer que acreditava que o sumiço tivesse relação com o sobrado em Almirante Tamandaré e a residência recém-adquirira no bairro Abranches. 

“Ele era ‘rolista’ ele pegava casa, daí dali uma semana, ele já trocava, fazia o rolo dele. Troca moto, carro, som, tudo. Por isso, ele tinha várias desavenças, a gente não tem certeza do que levou ao desaparecimento, a gente acha que é por causa dessa casa. Que foi por causa desse negócio que ele fez”, disse na época.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.