Segurança

Homem se revolta com falta de lombadas e decide fazer com a própria enxada; assista ao vídeo

Ele alega que o problema vem de alguns anos; prefeitura diz que está tomando as devidas providências

Guilherme
Guilherme Fortunato / Produtor
Homem se revolta com falta de lombadas e decide fazer com a própria enxada; assista ao vídeo
(Foto: Reprodução | Redes Sociais)

20 de setembro de 2021 - 15:32 - Atualizado em 20 de setembro de 2021 - 15:32

Um morador do Conjunto Oliveira, em Jaguapitã, no Norte do Paraná, ficou revoltado com a falta de lombadas na rua Antônio de Oliveira e decidiu construir um com as próprias mãos. Um morador gravou um vídeo do homem com a enxada na mão tentando resolver o problema no último domingo (19). Assista:

Segundo o morador, esse problema é de alguns anos. Ele alega que as crianças que brincam na rua saem correndo junto aos motoristas de carro que passam por ali em alta velocidade. 

Em nota, a Prefeitura de Jaguapitã diz que o executivo municipal não estava ciente das reclamações do cidadão e que já está tomando as providências em relação ao fato. Veja a nota: 

NOTA DE ESCLARECIMENTO

O Município de Jaguapítã — Paraná, através de seu Prefeito Municipal, Gerson Luiz Marcato, vem através desta esclarecer, os fatos ocorridos no dia 19/09/2021, onde um munícipe rompeu uma faixa de pavimento na rua Antônio de Oliveira, em frente ao n°361, no intuito de construir uma lombada.
A prefeitura salienta que não estava ciente e muito menos de acordo com o ocorrido, e já iniciou as devidas providências, para noticiar a ocorrido à autoridade policial, tendo em vista se tratar de crime contra o patrimônio púlblico, bem como providenciará os devidos reparos na via, com imposição de ressarcimento total dos custos, por parte do causador do dano.
Quanto a parte técnica, é sabido que há uma herança de outras gestões, onde alguns loteamentos foram liberados sem a devida sinalização, mas há um trabalho neste sentido. Primeiramente já foi licitado e pedido placas de sinalização para todos os pontos que hoje não os tem e quanto a sinalização horizontal e possíveis lombadas, a escolha dos locais será apontada por um plano de mobilidade a ser desenvolvido.