Segurança

Homem que matou pai e filha em bar de SP pode estar escondido no Paraná

O suspeito cometeu o crime depois de perguntar se a jovem era garota de programa

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais com reportagem de Nader Khalil, pela Record TV
Homem que matou pai e filha em bar de SP pode estar escondido no Paraná
Foto: Reprodução/Record TV

9 de julho de 2021 - 12:45 - Atualizado em 9 de julho de 2021 - 12:48

A Polícia Civil acredita que Wanderson Ferreira de Menezes, de 28 anos, que matou um pai e sua filha em um bar de Indaiatuba, São Paulo, no último domingo (4), pode estar escondido na casa de amigos e familiares no Paraná. 

De acordo com a investigação, Wanderson e um amigo estavam no bar da família quando perguntaram ao proprietário do local, Ronaldo Rodrigues Lima, de 45 anos, se sua filha Amanda Gabriele Evaristo, de 17 anos, era garota de programa

Irritado com a indagação, Ronaldo pediu que os dois se retirassem do estabelecimento. No entanto, Wanderson foi até sua residência, que fica a cerca de cinco minutos do local, retornou armado e disparou contra o dono do bar. Na tentativa de defender o pai, Amanda avançou contra o suspeito com uma garrafa, mas acabou atingida por um disparo no olho. Os dois chegaram a ser socorridos, mas não resistiram aos ferimentos e morreram no hospital. 

Camila Cristina, filha e irmã das vítimas, assistiu aos assassinatos, assim como várias pessoas que estavam no bar quando tudo aconteceu. Segundo seu relato, ela também ficou na mira do atirador. “Ele ficou a uma distância bem pequena e disparou contra o meu pai. Meu pai caiu na calçada e minha irmã saiu. Foi tudo muito rápido, ele mirou a arma para mim e para a minha irmã, eu puxei a minha irmã para o chão e acabei escorregando. Na hora que eu levantei, todo mundo já estava em cima do meu pai e em cima da minha irmã. Se eu não tivesse escorregado, eu também poderia ser uma vítima”, conta. 

 Pai e filha foram baleados no bar da família. (Foto: Reprodução/Record TV)

Vivendo o luto pela morte do pai e da irmã, Camila explica que a família morava nos fundos do bar, de onde o Ronaldo, viúvo há um ano, tirava o dinheiro para sustentar os filhos. Entre eles, um menino de 9 anos que também viu o pai e a irmã serem mortos

“Meu pai morreu defendendo minha irmã e ela morreu defendendo meu pai. Eu ainda estou sem acreditar porque eu perdi minha mãe faz um ano e agora meu pai e minha irmã”,

desabafou Camila.

Depois de atirar contra as vítimas, Wanderson fugiu do local com a ajuda de um carro que aguardava por ele em frente ao estabelecimento. Na quarta-feira (7), o homem que estava com ele no bar minutos antes do crime – e que a polícia suspeita que poderia estar na direção do carro e dado cobertura na fuga – foi preso. 

Conforme a Polícia Civil, Wanderson é natural de Alagoas, e depois de morar um tempo em Guarulhos, mudou-se para Indaiatuba, onde ele teria parentes. Durante a apuração do crime, não foram encontrados boletins de ocorrência registrados contra ele no estado de São Paulo, mas existe a possibilidade de que ele seja procurado por crimes cometidos no nordeste. 

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.