Segurança

Homem preso por manter a esposa por três anos em cárcere privado é solto por falta de provas

As famílias de Luiz e da mulher afirmam que a jovem teria “armado” contra o marido para voltar com o ex

Daniela
Daniela Borsuk com informações de William Bittar, da RIC Record TV Curitiba
Homem preso por manter a esposa por três anos em cárcere privado é solto por falta de provas
(Foto: GM Lima)

30 de julho de 2021 - 15:08 - Atualizado em 30 de julho de 2021 - 15:08

Luiz Santos, de 49 anos, suspeito de manter a esposa, de 22 anos, em cárcere privado por três anos, em Fazenda Rio Grande, na Região Metropolitana de Curitiba, foi solto. O homem havia sido detido na última sexta-feira (23) e foi liberado por falta de provas. As famílias de Luiz e da mulher afirmam que a jovem teria “armado” contra o marido para voltar com o ex.

Uma familiar do casal contou que não acredita que a vítima estava em cárcere pois ela comumente participava de eventos com conhecidos. “Ela saia passear, ela vinha aqui em casa, ela ia na casa dos parentes, não tinha como ser cárcere privado, a gente pegou todas as fotos, ela vinha aqui dançar nas festinhas, tudo”, disse a testemunha. Os parentes ainda afirmam que a mulher teria voltado a morar com o ex, em Piên, logo após a prisão do atual marido.

A jovem havia se separado do ex por ser agredida e ameaçada, e tinha uma medida protetiva contra ele. Ela morava com o homem no Litoral do Paraná, mas após conhecer Luiz teria vindo morar na Região Metropolitana de Curitiba. Ela também trouxe o filho, atualmente com cinco anos.

Denúncia

Na última sexta-feira (23), após supostamente ser resgatada do cárcere privado, a jovem contou para a polícia que sofria maus tratos, ameaças e abuso sexual. Ela está grávida de cinco meses e chegou a afirmar que não estava fazendo acompanhamento médico da gestação. Uma familiar também contestou a informação e afirmou que chegou a ir junto com a jovem nas consultas.

Conforme o relato da vítima, além de bater e ameaçar a esposa e abusar sexualmente da criança, o homem obrigava o menino a segurar um penico enquanto ele urinava no objeto e na criança.

 A jovem, de 22 anos, disse que foi trancada ali há três anos, mesmo tempo que começou um relacionamento com o autor dos abusos e maus tratos. Ela e o filho, que é de outro relacionamento anterior, eram mantidos em condições desumanas, num quarto escuro e com pouca ventilação, já que as janelas eram fechadas com tapumes