Segurança

Homem é morto a tiros no Parolin e suspeito do crime é preso horas depois, em Curitiba

Até o momento, a arma de fogo utilizada no crime não foi localizada e o veículo também segue desaparecido, assim como os outros dois suspeitos do crime

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais com informações da RIC Record TV
Homem é morto a tiros no Parolin e suspeito do crime é preso horas depois, em Curitiba
Foto: reprodução Diogo Cordeiro/RIC Record TV

23 de dezembro de 2020 - 08:35 - Atualizado em 23 de dezembro de 2020 - 08:35

Na noite desta terça-feira (22), um homem foi morto a tiros no Parolin, em Curitiba e imagens de câmeras de segurança ajudaram a Delegacia de Homicídio a prender o suspeito do crime em flagrante pouco tempo após o ocorrido. A vítima é um homem de 45 anos.

Homem é morto a tiros no Parolin e indivíduo de 43 anos é preso como principal suspeito do crime

Conforme informações repassadas pela polícia, câmeras de segurança mostram um veículo Sandero branco andando pelas ruas do Parolin por volta das 20h30. Dentro do carro estaria o suspeito do crime e outras duas pessoas.

sandero branco
Foto: reprodução de câmeras de segurança

Além disso, segundo testemunhas, uma mulher teria sido vista chorando e gritando pela região após o Sandero branco sair com o porta-malas aberto de sua residência logo após disparos de arma de fogo serem ouvidos.

A mulher em questão, conforme a polícia, foi identifdicada e ouvida pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa, relatando a autoria do crime no Parolin.

Após o depoimento da testemunha, equipes da polícia foram até a rua Nunes Machado, no Rebouças, onde prenderam um indivíduo de aproximadamente 43 anos como principal suspeito do crime.

De acordo com os policiais, o local onde o suspeito estava é conhecido por ser uma região de tráfico e jogo ilegal. Além da prisão, máquinas de caça-níquel também foram apreendidas no endereço.

Polícia suspeita de crime passional

A princípio, a polícia suspeita que o crime tenha sido passional, pois o dinheiro na carteira da vítima não foi levado.

“Nós prendemos o autor, aquele que disparou, que estava no porta-malas do carro, que preparou a emboscada. E temos também outras duas pessoas que precisamos saber quem são, que é uma loira de mais ou menos 25 anos, que estava junto no carro com uma outra pessoa, que a testemunha não conhece”, afirmou o delegado Tito Barichello.

Até o momento, a arma de fogo utilizada no crime não foi localizada e o veículo também segue desaparecido, assim como os outros dois suspeitos do crime.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.