Segurança

Gaeco cumpre mandados contra policiais suspeitos de envolvimento em esquema de jogos de azar

Os mandados foram cumpridos em Londrina e Astorga, mas os crimes seriam cometidos em Arapongas

Bruna
Bruna Melo / Repórter com informações do MPPR
Gaeco cumpre mandados contra policiais suspeitos de envolvimento em esquema de jogos de azar
(Foto: Divulgação/ Gaeco/ Arquivo)

5 de agosto de 2021 - 10:15 - Atualizado em 5 de agosto de 2021 - 10:15

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) cumpriu mandados de busca e apreensão contra um delegado de polícia aposentado e um investigador da polícia, em Londrina e Astorga, cidades do norte e noroeste do Paraná, respectivamente. A operação desta quinta-feira (5) é voltada ao combate de à exploração de jogos de azar e lavagem de dinheiro em Arapongas. A ação é em conjunto com o Ministério Público do Paraná (MPPR) e Corregedoria da Polícia Civil, com ordens judiciais expedidas pela 1ª Vara Criminal de Arapongas.

A investigação teve início em setembro de 2020 e apura possível esquema de corrupção de policiais na 22ª Subdivisão Policial de Arapongas. Os investigados são suspeito de receber propinas mensais para não efetuarem investigações ou prisões em locais com funcionamento de jogo do bicho.

Há suspeitas que os envolvidos forneciam informações sigilosas aos criminosos. O código usado para a propina era “costuras, blusas ou encomendas”. O bicheiro era chamado de “costureira”.

Também se apura a participação de uma servidora pública municipal que atuava na Delegacia de Polícia, que seria encarregada de manter contato com os contraventores para receber mensalmente valores. Posteriormente, o dinheiro seria dividido entre os integrantes do esquema, inclusive o então delegado-chefe da 22ª Subdivisão Policial de Arapongas.

O esquema criminoso teria sido mantido até janeiro de 2019, quando houve a mudança da chefia da Delegacia de Arapongas. Em setembro de 2020, a operação apreendeu materiais na casa do presidente da câmara de vereadores da cidade, Osvaldo Alves dos Santos (PSC). Foi encontrada uma arma de fogo e mais de 400 mil reais em dinheiro vivo dentro do cofre da residência.