Renata
Renata Nicolli Nasrala / Editora

3 de junho de 2020 - 08:55

Atualizado em 3 de junho de 2020 - 13:44

Segurança

85 foragidos da Justiça que solicitaram auxílio emergencial são presos no Paraná

O número de presos deve aumentar nas próximas horas e dias, conforme o delegado responsável pela operação

85 foragidos da Justiça que solicitaram auxílio emergencial são presos no Paraná
Foto: PCPR

Na manhã desta quarta-feira (3), a Polícia Civil do Paraná (PCPR) foi às ruas de todo o Paraná para cumprir mandados de prisão contra indivíduos foragidos que solicitaram e receberam o auxílio emergencial de R$ 600 do Governo Federal.

De acordo com a Polícia Civil, os condenados procurados que receberam o auxílio emergencial são acusados de crimes de roubo, tráfico de drogas e homicídio, e foram localizados após a atualização do cadastro para o recebimento do benefício.

Foragidos auxílio emergencial: operação acontece após cruzamento de dados

Segundo o delegado coordenador da operação Alan Flore, da Divisão de Combate à Corrupção, o recebimento do benefício por parte dos foragidos por descoberto graças a um cruzamento de dados da Polícia Civil e da Controladoria Geral da União. 

“Nós deflagramos a operação em todo o estado do Paraná. A Polícia Civil fazendo uma análise de dados enviados pela Controladoria Geral da União constatou a existência de ordem de prisão, expedida pela Justiça, de diversos indivíduos”, explicou.

Como os foragidos se encontram em várias cidades do Paraná, o ação foi dividida entre todas as unidades da Polícia Civil no estado. Até o início da tarde, 85 pessoas já haviam sido presas

“Até o presente momento, nós contabilizamos cerca de 85 pessoas presas. Porém, esse número irá ser elevado porque muitas unidades ainda não reportaram o cumprimento parcial dessas ordens de prisão”, completou Flore.

Crime de estelionato

O delegado completou explicando que caso seja identificado que os condenados fraudaram documentos para solicitar o auxílio emergencial, eles irão responder pelo crime de estelionato.

“Parte dessas pessoas que foram capturadas pode atender aos requisitos, estabelecidos pelo governo, para obtenção do benefício, como uma outra parte pode ter se valido de fraude para a obtenção. Então, se os indivíduos praticaram fraude, praticaram um novo crime, que é o crime de estelionato contra o Poder Público, e assim irão responder por mais uma infração penal”