Segurança

“Foi Deus”, declara mãe de meninas que foram arremessadas do quarto andar para escapar de incêndio

Avó das crianças teve atitude heróica e também conseguiu se salvar

Guilherme
Guilherme Becker / Editor reportagem da RIC Record TV Curitiba
“Foi Deus”, declara mãe de meninas que foram arremessadas do quarto andar para escapar de incêndio
(FOTO: REPRODUÇÃO/ RIC RECORD TV)

11 de janeiro de 2021 - 10:00 - Atualizado em 11 de janeiro de 2021 - 10:00

Uma família de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, passou por um grande susto na última sexta-feira (8). Após um incêndio no primeiro andar do condomínio, uma avó e três netas ficaram presas no apartamento do quarto andar. Sem outra alternativa, a mulher jogou as três crianças pela janela e depois pulou. Vizinhos ajudaram com lonas e colchões.

A avó e uma das meninas precisaram de atendimento médico e foram ao hospital. Já a bebê, de apenas 11 meses, e Fernanda, de 11 anos, não tiveram ferimentos. Janete Martin, a avó, machucou a coluna e segue hospitalizada, mas estável. Já Rafaelle, de 5 anos, teve uma lesão no ombro, mas já está em recuperação em casa.

“Estava muita fumaça e eu não estava conseguindo enxergar”, contou a pequena Rafaelle, que agora está com um suporte no braço para tratar o machucado.

Mãe estava no mesmo prédio, mas não conseguiu subir

Tudo aconteceu muito rápido. A fumaça do incêndio no primeiro andar logo se espalhou por todo bloco e a família do quarto andar não conseguiu descer. A mãe das crianças estava no condomínio, porém, trabalhando em um outro apartamento.

Ao perceber o incêndio logo pensou nas filhas e tentou acessar o prédio, porém, a intensidade da fumaça impediu que a mulher conseguisse subir. Desesperada, a mãe encontrou as filhas já no pátio do local após vizinhos salvarem com lonas e colchões.

“Aconteceu um milagre, foi Deus”, contou a mãe que agora acompanha a recuperação completa das crianças.

Condomínio organiza doações

No apartamento onde o fogo teve início tudo foi destruído. A família, que não estava no local no momento do incidente, foi alojada em uma casa de um familiar e agora pede ajuda para recuperar os materiais que foram consumidos pelas chamas. O fogo começou em um quarto e se alastrou pela residência inteira.

A advogada do condomínio informou que a família está recebendo suporte, porém, precisa de doações.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.