Segurança

Família de menina de 11 anos que foi violentada pede ajuda para se recuperar, diz advogado

O advogado ainda relatou que a mãe da menina, com medo, deixou a casa desde o crime e não voltou mais, e teve que se desligar da empresa onde trabalhava, já que não tinha com quem deixar as crianças

Daniela
Daniela Borsuk com informações da repórter Thais Travençoli, da Ric TV Record Curitiba
Família de menina de 11 anos que foi violentada pede ajuda para se recuperar, diz advogado
(Foto: Reprodução/ RIC Record TV Curitiba)

5 de julho de 2021 - 14:18 - Atualizado em 5 de julho de 2021 - 14:22

Vítimas de um pesadelo que parece não ter fim. A família da menina de 11 anos que foi estuprada na frente dos irmãos, de 4 e 5 anos, está abalada e com muito medo de que algo ruim volte à acontecer. O suspeito de invadir a casa, violentar a criança, ameaçar os irmãos e roubar pertences da família, Jailson Rodrigo Bastos de Lima, chegou a ser preso, mas fugiu da delegacia e ainda não foi localizado.

O advogado da mãe da menina, Caio Percival, afirmou que Jailson é perigoso e que tanto a vítima quanto os familiares estão sofrendo desde que tudo aconteceu.

“Essa indivíduo ameaça toda a coletividade, essa família foi absolutamente devastada, estão sofrendo traumas indeléveis psicológicos e esse indivíduo está à solta, pode invadir a minha casa, a sua casa, a casa dos demais cidadãos. Esse homem altamente periculoso, ele fugiu de uma delegacia de polícia, com um conjunto de policiais custodiando, isso para a gente ver a alta carga de periculosidade que ele impõe à sociedade”. 

Disse Caio Percival.

O advogado ainda relatou que a mãe da menina, com medo, deixou a casa desde o crime e não voltou mais, e teve que se desligar da empresa onde trabalhava, já que não tinha com quem deixar as crianças. A mulher era quem sustentava a família e agora, desempregada, precisa contar com a ajuda de parentes e vizinhos.

“Esse primeiro momento é um momento de acolhimento, essa família está devastada, essa mãe está desajustada psicologicamente, essa família está contando com o amparo dos seus familiares, está escondida. A mãe teve que romper com o seu vínculo empregatício, está desempregada, teve que fugir às pressas de casa, isso porque o indivíduo quando praticou esse terrível crime ele levou as chaves da sua casa, e essa mãe está contando com o insumos solidários dos vizinhos”. 

relatou o advogado Percival.

Devido ao momento difícil, o advogado deixou ainda uma conta para quem quiser ajudar e fazer doações para a família. Os depósitos podem ser feitos por PIX, no CPF 081083979-28.

O crime

Jailson foi detido na última terça-feira (29) suspeito de invadir uma residência e estuprar uma menina de 11 anos na frente de seus irmãos. Ele teria aproveitado que a mãe das crianças saia de casa todos os dias para trabalhar, às 4h, e deixava os filhos dormindo até a chegada de uma cuidadora, às 8h.

Na sequência, conforme a polícia, o suspeito roubou cerca de R$ 400 em dinheiro, dois celulares, uma bicicleta e fugiu. Mas um familiar da criança flagrou ele deixando a casa e, com medo de que o pior tivesse acontecido, correu para encontrar os sobrinhos. 

“Eu encontrei a minha sobrinha chorando e relatando que o ‘Ratinho’ entrou pela janela com um facão e um simulacro de arma ameaçando ela e meu sobrinho. Foi no quarto dela com um facão, ameaçou ela de morte. Uma criança estava dormindomas a outra estava vendo tudo. Ele tentou chorar, gritar, mas o Ratinho ameaçou ele com o facão”.

relatou um tio, que não pode ser identificado para preservar a identidade da vítima.

Jailson foi encaminhado para a delegacia de Fazenda Rio Grande, mas fugiu no dia seguinte (30), por uma janela do banheiro. O suspeito segue foragido nesta segunda-feira (5) e equipes policiais fazem buscas pela Região Metropolitana de Curitiba.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.