Segurança

Ex-marido de gerente de banco morta vai à delegacia para prestar depoimento

Uma investigação revelou que ex-marido havia trocado mensagens planejando a morte da mulher, caso é tratado como hipótese

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais reportagem da RIC Record TV Curitiba
Ex-marido de gerente de banco morta vai à delegacia para prestar depoimento
(FOTO: REPRODUÇÃO/ RIC RECORD TV)

29 de dezembro de 2020 - 13:14 - Atualizado em 29 de dezembro de 2020 - 13:18

Conhecido como Tonhão, o ex-marido de Tatiana Lorenzetti, que foi morta nesta segunda-feira (28) próximo ao estacionamento da agência bancária onde trabalhava, procurou delegacias da polícia para prestar depoimento hoje (29). Acompanhado do advogado Marcelo Fraga Pereira, o ex-marido da vítima não conseguiu conversar com nenhum delegado.

Por volta das 12h45, Tonhão retornou com o advogado à Delegacia da Mulher e aguarda para ser ouvido. O homem procurou a delegacia de maneira voluntária.

Tonhão retornou a delegacia por volta das 12h45 (FOTO: REPRODUÇÃO/ RIC RECORD TV)

Em conversa mais cedo com o repórter Nader Khalil, o advogado disse que Tonhão tem muito a contar sobre a investigação. Nesta terça-feira (29) está programada uma entrevista coletiva na Delegacia da Mulher que irá revelar detalhes sobre a prisão de dois suspeitos.

Na conversa com o repórter Nader Khalil, Tonhão teria negado participação no crime e chegou a chorar.

Relacionamento conturbado

Tonhão e Tatiana foram casados durante quatro anos e possuem um filha de nove anos. O término do relacionamento aconteceu entre 2014 e 2015, porém nos últimos anos a mulher chegou a registrar boletim de ocorrência contra o homem.

Tatiana acusava ele de arremessar pedra contra seu veículo e no mês passado pediu medida protetiva. Já Tonhão chegou a registrar boletim alegando que a ex não deixava ele ver o filho.

Nesta segunda-feira (28), Tatiana foi morta logo após sair do trabalho.

Tatiana Lorenzetti foi morta nesta segunda-feira (28) (FOTO: REPRODUÇÃO/ REDES SOCIAIS)

Investigação revela mensagens sobre morte

A investigação sobre o crime desta segunda-feira (28) ganhou um novo capítulo após a revelação de novas informações. Tonhão estava sendo investigado pelo 13º Batalhão da Polícia Militar, por envolvimento no tráfico de drogas. Entretanto, durante o processo de investigação, a polícia descobriu uma troca de mensagens do homem com um possível matador de aluguel.

Nas conversas, Tonhão tentava negociar a morte da ex. O possível matador teria pedido R$ 40 mil para tirar a vida da mulher, mas o ex tentava fechar o crime em R$ 20 mil. 

O caso ainda é tratado como hipótese e será investigado pela Delegacia da Mulher, para saber se existe algum tipo de ligação com o crime cometido nesta segunda-feira (28). A investigação já adiantou que o autor do disparo não foi a mesma pessoa com quem Tonhão trocou mensagens, pois o indivíduo identificado como Wagner já foi preso.

Tonhão é atleta de judô e luta greco-romana, inclusive com títulos nacionais.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.