Segurança

“Eu tinha uma família linda”, diz homem que matou a esposa e esfaqueou o filho

Josenei Ratier matou a companheira a facadas e feriu o filho de 17 anos que tentou proteger a mãe

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais
“Eu tinha uma família linda”, diz homem que matou a esposa e esfaqueou o filho
Foto: Reprodução/RIC Record TV

29 de março de 2021 - 13:35 - Atualizado em 29 de março de 2021 - 13:37

Josenei Ratier, de 39 anos, acusado de matar a esposa e esfaquear o filho adolescente se apresentou na delegacia de Polícia Civil de Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba, para ser preso na manhã do último sábado (27). No fim de fevereiro, ele chegou a prestar depoimento e confessar o crime, mas não foi detido na ocasião.

Antes de entrar na delegacia, para cumprir o mandado de prisão preventiva que determinou seu encarceramento, Josenei  se despediu dos pais e conversou com exclusividade com a RIC Record TV. Ao ser indagado sobre estar arrependido do assassinato, declarou: 

“Como não estou arrependido? Eu tinha uma família linda, maravilhosa e hoje olha onde eu tô.”

Ele ainda aproveitou para se desculpar por ter tirado a vida de Agueda do Rocio Mendes Soares, de 36 anos, com que viveu um relacionamento de 18 anos. “Eu quero pedir perdão para minha cunhada, para os meus filhos, para os meus familiares. Eu tinha projetos de vida. Eu nunca planejei isso na minha vida, eu nunca pensei em ver um dia a notícia na RIC TV, nunca.”

Josinei foi indiciado pelo homicidio de Agueda e por tentativa de homicídio do filho adolescente contra o filho de 17 anos.

O crime 

Agueda morreu após ser esfaqueada pelo marido no dia 20 de fevereiro. O crime ocorreu na residência da família, localizada no bairro Capela Velha, depois que o casal retornou de uma confraternização na casa de vizinhos.

Conforme apurado pela RIC Record TV, assim que chegaram em casa, o filho mais novo, uma criança de 5 anos, ligou a televisão para assistir desenho. Irritado porque queria ver outra programação, Josinei desferiu uma bofetada no rosto do menino. Quando Agueda percebeu o que havia ocorrido, ela interferiu a favor do filho e uma discussão começou na sala. 

Na sequência, os dois passaram para a cozinha, onde Josinei empurrou a esposa contra um balcão. Ao ver a cena, o filho mais velho do casal interferiu para defender a mãe. No entanto, quando percebeu a aproximação do rapaz, o pai deu uma cabeçada contra seu rosto, pegou uma faca e tentou matá-lo. Durante a briga, o jovem conseguiu segurar o objeto, mas ainda assim sofreu um ferimento na região da barriga. 

Assustado, ele foi para o banheiro e foi então que viu a mãe correndo para os fundos da residência, possivelmente para pedir socorro, e o pai atrás. Josinei esfaqueou a companheira pelas costas, com tanta força que a lâmina da faca chegou a atravessar o corpo e sair pelo peito. Ferida, Agueda viu o filho no banheiro e correu em direção a ela. Antes de perder a vida, ela caiu no corredor e pediu que não a deixassem morrer. 

Depois do crime, Josinei fugiu a pé e chegou a ser perseguido pelo filho, até que o jovem desistiu de correr atrás do pai quando percebeu que ele estava armado.

Amigos íntimos do casal concederam uma entrevista à RIC Record TV e afirmaram que nunca viram Josinei agredir ou tratar a esposa mal. Para eles, o crime foi uma grande surpresa. Por outro lado, familiares de Agueda informaram que ele era um homem agressivo dentro de casa e embora a esposa não reclamasse para amigos, existia sim um histórico de violência doméstica.

“Sei lá se por medo ou vergonha talvez, ela nunca procurou uma delegacia para fazer uma denúncia, mas inclusive há alguns meses atrás, ela teve que ir com as crianças na casa de uma outra irmã minha porque ele já tinha feito uma ameaça de morte para ela. A gente vê os crimes de feminicídio, mas a gente nunca imagina que isso possa acontecer na família da gente”,

desabafou César Soares, irmão de Agueda.