Segurança

Dr. Jairinho e Monique são denunciados pelo MPRJ pela morte de Henry

O menino de 4 anos morreu na madrugada do dia 8 de março

Aline
Aline Taveira / Produtora
Dr. Jairinho e Monique são denunciados pelo MPRJ pela morte de Henry
Foi emitido um pedido de prisão preventiva contra o casal. (Foto: Reprodução)

6 de maio de 2021 - 12:13 - Atualizado em 6 de maio de 2021 - 12:13

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) denunciou o vereador Dr. Jairinho (sem partido) e Monique Medeiros na manhã desta quinta-feira (6) pela morte de Henry Borel, de 4 anos, que aconteceu em março deste ano. Foi pedida também a prisão preventiva do casal

“O crime de homicídio foi cometido por motivo torpe, eis que o DENUNCIADO decidiu ceifar a vida da vítima em virtude de acreditar que a criança atrapalhava a relação dele com a mãe de HENRY”, diz trecho da denúncia.

O promotor que assina a denúncia, Marcos Kac, afirma que Jairinho e Monique tentaram intimidar e persuadir testemunhas, direcionar depoimentos e embaraçar as investigações.

As investigações mostraram, de acordo com o G1 RJ, que o menino morreu por conta de agressões do padrasto e pela omissão da mãe. Uma reconstituição feita pela polícia aponta 23 lesões por ‘ação violenta’ no dia da morte.

Dr. Jairinho foi denunciado por homicídio triplamente qualificado, tortura e coação de testemunha. enquanto Monique Medeiros foi denunciada por tortura omissiva, homicídio, falsidade ideológica e coação de testemunha.

Segundo a investigação, Monique manteve a relação com Dr. Jairinho apesar de todos os sinais de agressão contra Henry, o que teria contribuído para a morte do filho. O político também foi indiciado por outros dois episódios de tortura contra Henry em fevereiro.

O promotor afirma ainda que o homicídio foi cometido por motivo torpe, por Jairinho acreditar que Henry atrapalhava sua relação com Monique e que o menino sequer teve chance de se defender.

“Ademais, o crime foi executado com meio cruel, tendo em vista que o DENUNCIADO infringiu à pequena vítima intenso sofrimento físico, tendo em vista as múltiplas lesões que lhes foram causadas, revelando, desta forma, uma brutalidade fora do comum e em contraste com o mais elementar sentimento de piedade”, afirma o MPRJ em trecho da denúncia.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.