Guilherme
Guilherme Becker / Editor reportagem RIC Record TV, Curitiba

1 de junho de 2020 - 16:32

Atualizado em 1 de junho de 2020 - 18:14

Segurança

Delegado investiga morte de mulher que foi assassinada ao lado da sobrinha: “Tem um suspeito”

Crime aconteceu na noite deste domingo (31) em Almirante Tamandaré

Delegado investiga morte de mulher que foi assassinada ao lado da sobrinha: “Tem um suspeito”
(FOTO: REPRODUÇÃO/ REDES SOCIAIS)

A Polícia Civil de Almirante Tamandaré investiga a morte de Fernanda de Lima, de 33 anos, que foi assassinada na noite deste domingo (31), na Região Metropolitana de Curitiba. A mulher foi atingida por aproximadamente cinco disparos no momento que retornava, com a sobrinha de 8 anos, de uma lanchonete. 

Imagens de câmeras de segurança, instalada na rua do crime, estão sendo utilizadas pela polícia para identificar possíveis suspeitos. Pouco antes de ser assassinada, Fernanda conversou com uma pessoa, que parecia fazer um sinal para ela.

Crime em Almirante Tamandaré

O delegado Tiago Dantas, da delegacia de Almirante Tamandaré, participou nesta segunda-feira (1) do programa Balanço Geral Curitiba. Segundo o agente, logo após o crime, investigadores estiveram na rua Carlota Rodrigues Dias, no bairro Cachoeira, para coletar as primeiras informações.

“A Polícia Civil já instaurou o inquérito policial para verificar a motivação e conseguir identificar. Tem um suspeito, a gente precisa qualificá-lo ainda, identificá-lo, como a gente vê nas imagens ele é um homem que passa na rua, com sinais característicos. A equipe de investigação foi ao local do crime, já no dia de ontem, colheu informações preliminares, a vítima estava na companhia de uma criança, vamos ouvir essa criança na posição de informante, para que possa nos auxiliar para que a gente possa avançar nas investigações”, comentou Dantas.

Nas imagens, de duas câmeras de segurança, é possível ver um homem que pode ter participação no crime. Nos próximos dias a delegacia de Almirante Tamandaré deve realizar depoimentos com testemunhas.

A sobrinha da vítima, que presenciou o crime, também será ouvida. Como trata-se de uma criança, o procedimento será diferente e contará com o apoio de um psicólogo da cidade.