Segurança

Em um único dia, três crânios humanos são encontrados na mesma praça em Piraquara

Somente no mês de agosto, quatro crânios foram localizados pela cidade; a Polícia Civil investiga o caso

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais com reportagem de Nader Khalil da RIC Record TV, Curitiba
Em um único dia, três crânios humanos são encontrados na mesma praça em Piraquara
A praça onde os crânios foram encontrados fica em uma praça de Guarituba. (Foto: Reprodução/RIC Record TV)

28 de agosto de 2020 - 14:34 - Atualizado em 28 de agosto de 2020 - 18:32

Resumo da matéria

Um mistério vem desafiando a polícia de Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba, desde o dia 7 de agosto, quando foi encontrado o primeiro crânio humano na área rural do município, em uma pedreira.

“Os funcionários estavam trabalhando quando pedras começaram a rolar dentro de um córrego, então, um deles avistou algo parecido com um crânio humano”, contou o soldado Victor, da Polícia Militar. 

Vinte dias depois, mais uma denúncia, dessa vez a ocorrência foi em um parque no bairro Guarituba, e crânio estava dentro de uma sacola plástica.

“No local estava somente o crânio dentro de uma sacola, não tinha mais nada, nenhum pertence, nenhum tipo de vestígio”, explica o sargento Josimar, da PM. 

A surpresa maior, no entanto, veio seis horas depois, quando da polícia foi chamada porque um novo crânio havia sido localizado na mesma praça, a poucos metros dos brinquedos usados pelas crianças

O que ninguém esperava, é que esse número ainda iria aumentar e antes mesmo dos peritos da Polícia Científica, os investigadores da Polícia Civil e policiais militares deixarem o local, o terceiro crânio foi localizado por um catador de recicláveis. 

Um dos crânios localizados na praça. (Foto: Reprodução/RIC Record TV)

Os crânios foram recolhidos e encaminhados ao Instituto Médico-Legal (IML), onde serão submetidos a exames pelo Laboratório de Antropologia Forense

A suspeita é que os crânios foram furtados do Cemitério do bairro Guarituba, já que o local apresenta abandono e vários túmulos teriam sido violados. 

O superintendente da Delegacia de Piraquara, Sérgio Klaar, explica que quem for flagrado arrombando túmulos terá que responder pelos crimes de furto qualificado, vilipêndio e dano ao patrimônio público, além de pagar uma multa estipulado pelo município.

“A primeira linha de investigação é que as pessoas estão manipulando, estão arrombando os túmulos para buscar jóias, alianças, anéis. A princípio, seria um furto qualificado. […] É o crime de vilipêndio com pena de um a três anos de detenção, mais multa do município e patrimônio público”, disse Klaar. 

Assista ao vídeo:

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.