Segurança

Corpo é encontrado carbonizado em carro incendiado, em Curitiba

Pálio foi localizado em chamas com uma pessoa dentro. Não foi possível identificar a vítima no local.

Giselle
Giselle Ulbrich
Corpo é encontrado carbonizado em carro incendiado, em Curitiba
(Foto: Ilustração/ Polícia Militar do Paraná)

2 de maio de 2021 - 16:08 - Atualizado em 2 de maio de 2021 - 16:08

Uma pessoa, ainda sem identificação de nome, idade e sexo, morreu carbonizada dentro de um carro, no início da tarde deste domingo (02), atrás do Clube Sírio Libanês, no próximo ao clube sírio- libanês – atrás do muro do clube. A princípio, a polícia trata o caso como homicídio, já que há indícios de incêndio criminoso.

A ocorrência teve início pouco depois das 13h, quando pessoas que passavam pela Estrada das Olarias, bem atrás do muro do clube Sírio Libanês, se depararam com um carro em chamas. Era um Pálio e, dentro dele, havia uma pessoa morta. O local é ermo, sem moradores por perto.

O Corpo de Bombeiros chegou e agiu rápido para apagar o fogo. Porém não foi possível salvar a pessoa. O perito criminal Silvestre Ornelas, do Instituto de Criminalística, esteve no local e acredita num incêndio criminoso. Quem ateou fogo ao carro jogou muito combustível por todo o veículo, o que fez o automóvel queimar por completo. O cheiro de combustível no local ainda era forte, mesmo depois das chamas apagadas.

Devido ao estado que ficou o cadáver, muito incinerado, o perito não consegui ver se a vítima tinha algum ferimento, como tiro ou facada, por exemplo, que tenha levado à morte antes do incêndio. Nem mesmo o sexo da vítima foi possível verificar, o que vai depender de exames no Instituto Médico Legal.

Apesar da tinta do veículo ter sido consumida pelo fogo, a polícia pelo menos conseguiu verificar que tratava-se de um Pálio vermelho, cujo dono já tem alguns antecedentes criminais por violência doméstica. Mas ainda não é possível saber se a vítima é o dono do carro, que até o momento da ocorrência, não tinha alerta de furto ou roubo.

Investigadores da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) iriam à campo no restante da tarde deste domingo, em busca do dono do carro.