Segurança

Cascavel: Homem que enviou pão de mel envenenado ganha liberdade

A defesa do homem pediu a revogação do mandado, que foi acatado pela justiça

Aline
Aline Cristina / Repórter
Cascavel: Homem que enviou pão de mel envenenado ganha liberdade
(Foto: Beatriz Frehner)

26 de maio de 2021 - 08:48 - Atualizado em 26 de maio de 2021 - 11:48

O homem de 43 anos que enviou pão de mel envenenado, em Cascavel, irá responder o processo em liberdade, o pedido foi acatado pela justiça. O caso tomou repercussão em todo o Oeste do Estado.

O suspeito de praticar o crime, foi detido no último dia 19 durante a Operação Doce Veneno, realizada pelos investigadores da Delegacia de Homicídio da cidade.

A defesa do homem pediu a revogação do mandado, que foi acatado pela justiça na tarde de quarta-feira (26). Por esse motivo, ele responde o processo em liberdade.

Segundo Cleber Evangelista, advogado de defesa do acusado, a decisão tomada pelo juiz, era a medida que ele achava cabível durante as investigações.

“ Meu cliente assume algumas práticas em relação ao crime, mas outras que foram apontadas durante as investigações, não teriam sido praticadas por ele. Sempre que for convocado ou convidado para comparecer em juízo ele se fará presente. Ele assumi uma postura colaborativa com as investigações e com as autoridades judiciárias.”

Cleber Evangelista – advogado

Leia mais: Homem é detido acusado de ter mandado pão de mel envenenado, em Cascavel

Leia mais: Polícia divulga vídeos da entrega de pão de mel envenenado, em Cascavel

Doce Veneno

A Polícia Civil conseguiu localizar o homem, após investigação. Os investigadores tiveram acesso a câmeras de segurança que mostram o suspeito, levando uma carta até a empresa onde a vítima trabalha e também câmeras de onde o motoboy realiza a entrega do doce envenenado.

De acordo com o Delegado da  DH, o crime tem motivação passional. A mulher do acusado, teve uma relação extraconjugal com a vítima, e por esse motivo, o autor decidiu se vingar e planejou se vingar. O crime, segundo a polícia, foi premeditado.

Pão de Mel

A vítima do crime, um homem de 35 anos, passou mal ao ingerir um pedaço do doce envenenado com Carbofurano, um inseticida agropecuário, altamente tóxico.

O pão de mel chegou até a casa da vítima por meio de uma entrega, como se fosse brinde de uma empresa da cidade.

Após ingerir o alimento, o homem precisou ser encaminhado para casa hospitalar, onde ficou internado por 10 dias.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.