Segurança

Brasileiras estudantes de medicina morrem em ataque com mais de 100 tiros no Paraguai

Um vereador e uma filha de um governador também foram mortos no atentado

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais com informações da Agência Brasil
Brasileiras estudantes de medicina morrem em ataque com mais de 100 tiros no Paraguai
Kaline Reinoso e Rhannye Jamilly Borges Oliveira (Foto: Reprodução/ Redes Sociais)

11 de outubro de 2021 - 07:46 - Atualizado em 11 de outubro de 2021 - 09:37

Duas estudantes brasileiras foram assassinadas na cidade paraguaia de Pedro Juan Caballero, na fronteira com Mato Grosso do Sul. Kaline Reinoso, de 20 anos, e Rhannye Jamilly Borges Oliveira, de 18, foram atingidas por dezenas de tiros dentro de um carro. Elas cursavam medicina na cidade paraguaia. Kaline era natural de Dourados (MS) e Rhannye de Curvelândia (MT).

Segundo o jornal paraguaio Hoy, mais duas pessoas morreram na ação: o vereador Osmar Vicente Alvarez, conhecido como Bebeto, e Hailé Acevedo, filha de Ronald Acevedo, governador de Amambay, departamento (semelhante a um estado) do Paraguai. Ainda de acordo com a imprensa paraguaia, a polícia local acredita que o alvo da ação era Bebeto. Mas ainda não há pistas sobre os autores do crime.

Estudantes morrem paraguai (1)
Osmar Vicente Alvarez e Hailé Acevedo (Foto: Reprodução/ Redes Sociais)

Outras duas pessoas sobreviveram ao ataque, Bruno Elias Sanchez e Rafaeli Alvarez, ambos de 20 anos. Eles foram encaminhados a hospitais particulares. Segundo a imprensa local, foram disparados pelo menos 100 tiros contra o veículo, um utilitário esportivo branco. As vítimas que morreram levaram, ao todo, 61 disparos:

  • Haylee Carolina Acevedo Yunis levou 6 tiros
  • Omar Vicente Álvarez Grance, Bebeto, levou 31 tiros
  • Kaline Reinoso de Oliveira levou 14 tiros
  • Rhamye Jamilly Borges de Oliveira levou mais de 10 tiros

A chacina ocorreu nas primeiras horas de sábado e neste domingo os paraguaios foram às urnas para eleger prefeitos e vereadores no país. Em outros pontos do país, políticos sofreram atentados no mesmo padrão. Os candidatos Eva Cristaldo e Nolberto Cabrera tiveram seus veículos alvejados, mas sobreviveram.

Assista ao vídeo do momento da chacina: