Segurança

Um dos atiradores de crime em posto de combustível em Curitiba era guarda municipal

Lucas
Lucas Sarzi
Um dos atiradores de crime em posto de combustível em Curitiba era guarda municipal
(FOTO: COLABORAÇÃO/ VENICIUS ANDRADE)

12 de junho de 2020 - 19:21 - Atualizado em 1 de julho de 2020 - 14:40

A Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) já sabe quem são os três homens que atiraram e mataram o advogado Igor Martinho Kaluff, de 40 anos, e o amigo dele, Henrique Mendes Neto, 38.

Um dos envolvidos no crime, que aconteceu num posto de combustíveis do Centro de Curitiba, no final da tarde de quinta-feira (11), é um ex-guarda municipal. Nenhum deles ainda foi preso, somente um homem que seria o mandante do crime.

Segundo o que a DHPP já apurou, o mandante do crime seria um empresário de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC). Ele teria contratado os três atiradores e foi preso em casa. À polícia, disse que não sabia que eles estavam armados.

Dívida de pedras preciosas motivou o crime em posto de combustível

O crime aconteceu durante uma cobrança de uma dívida que o empresário preso teria com um ourives (profissional que trabalha com metais preciosos). O ourives teria repassado uma certa quantidade de pedras preciosas e o empresário, seu amigo, estava sem pagar.

Por medo de se indispor com seu amigo, o ourives pediu para que Igor, enquanto advogado, o ajudasse a cobrar. De acordo com a delegada Tathiana Guzella, que investiga o crime, o empresário disse que se sentiu ameaçado com a cobrança, por telefone, um dia antes, contra ele.

Quem fez essa cobrança foi Igor, que tinha sido contratado pelo ourives para que lidasse com o assunto. “O empresário disse que se sentiu ameaçado com o tom de voz do advogado. Não houve uma ameaça direta. Segundo ele, houve uma conversa intimidatória“, detalhou Tathiana.

Empresário chamou “capangas”

Por causa desse “tom intimidatório” que teve a conversa, o empresário chamou um conhecido para que fosse com ele até a reunião marcada. “Disse que chamou o vigia que trabalhou para ele e que esse homem – que ele não sabe o nome e nem muitos detalhes – teria ido armado sem ele saber e levado mais dois homens também armados“.

Segundo a delegada, com a prisão do empresário e o depoimento do ourives, a DHPP tem informações suficientes para entender não só a dinâmica do crime como também identificar os atiradores. “Estamos com identificação dos três, um deles já fez parte da segurança de Curitiba. Esperamos que eles se apresentem à polícia, ou pedirei a prisão deles”, reforçou a delegada.

Como destacou Tathiana Guzella, um dos atiradores, que aparece nas imagens de jaqueta de couro, é um ex-guarda municipal de Curitiba. Segundo a Guarda Municipal, o homem foi exonerado no dia 12 de maio deste ano. A reportagem da RIC Record TV apurou que ele possui histórico criminoso por roubo, tráfico de drogas e receptação.

ex-gm-tiros-posto-combustivel-crime
Ex-guarda municipal é um dos atiradores. Foto: Reprodução.

DHPP espera pelos atiradores de posto de combustível

O nome dos atiradores não foi divulgado a pedido da própria delegada da DHPP, que ainda espera que eles se apresentem espontaneamente. Caso não compareçam à DHPP, os três homens vão ser procurados e a polícia já destaca a importância das denúncias da população. O telefone para contato é o 0800-643-1121.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.