Segurança

Após 1 ano 5 meses preso, torcedor paranista é inocentado em júri popular

Julgamento durou mais de 15 horas e terminou na madrugada desta quarta-feira (28); o réu era acusado da morte de um torcedor do Coritiba em novembro de 2019

Guilherme
Guilherme Becker / Editor com informações de Marcelo Borges | RIC Record TV
Após 1 ano 5 meses preso, torcedor paranista é inocentado em júri popular
(FOTO: MARCELO BORGES/ RIC RECORD TV)

28 de abril de 2021 - 06:48 - Atualizado em 28 de abril de 2021 - 07:38

O torcedor do Paraná Clube, Dayvis Lourival Moreira da Silva Júnior, foi absolvido da acusação pela morte do torcedor do Coritiba, Lucas Siebre Gonçalves, que aconteceu em novembro de 2019, no bairro Xaxim, em Curitiba. Após um júri de mais de 15 horas, na madrugada desta quarta-feira (28), o juiz de direito substituto, Thiago Flôres Carvalho, leu a sentença que inocentou o réu.

“Os jurados chegaram à seguinte conclusão […] Julga-se improcedente a denúncia a efeito de absolver o acusado das imputações iniciais”,

declarou Flôres.

A decisão foi comemorada por amigos e familiares de Dayvis, que acompanhavam o julgamento do lado de fora do tribunal. O torcedor paranista era acusado por pelo menos três testemunhas como o autor dos disparos que atingiram Lucas no dia 16 de novembro de 2019. No dia 2 de dezembro daquele ano, o paranista foi preso, onde permaneceu até o dia do júri.

“Um ano e cinco meses que esse menino foi privado da liberdade. Sentimento é de alívio”,

comentou Cássio Silva, um tio de Dayvis.

Com a decisão, Dayvis foi inocentado e liberado do sistema prisional. Os advogados que representam o torcedor paranista comemoraram a decisão. De acordo com Jeffrey Chiquini, a “única solução era o reconhecimento da inocência”.

“A perícia disse que o tiro foi efetuado, possivelmente, pela torcida do Coritiba”,

comentou Chiquini.
Dayvis no momento da leitura da sentença (FOTO: REPRODUÇÃO/ YOUTUBE/ TJPR)

Dayvis respondia por homicídio qualificado por motivo fútil e meio que resultou em perigo comum, já que poderia ter atingido outras pessoas quando efetuou os disparos com a arma de fogo.

Já os advogados da família de Lucas Siebre questionaram uma prova pericial, destacaram as testemunhas que afirmam ter visto o autor e prometeram que irão recorrer, e assim, pedir um novo júri.

“Vamos recorrer sim, sem dúvida alguma”,

declarou Igor Ogar.

Assista ao momento da leitura da sentença: (final do vídeo 3:56:00)

Relembre o caso – Briga de torcidas acaba em morte

Na tarde do dia 16 de novembro de 2019, Lucas e amigos assistiram o jogo do Coritiba Foot Ball Club X Oeste de São Paulo, pela série B do Campeonato Brasileiro, no Estádio Major Antônio Couto Pereira, no bairro Alto da Glória. Após o fim da partida, o rapaz junto com pelo menos outros 50 torcedores seguiram de ônibus para o bairro Xaxim. Lá, esses desceram e foram até a região da Vila Brasília, onde uma torcida organizada do Paraná Clube fazia uma confraternização. 

Com a chegada dos torcedores paranistas, houve uma briga generalizada e Lucas acabou sendo baleado. De acordo com a Polícia Militar, o torcedor do Coritiba foi ferido por volta das 20h10 próximo a estação-tubo Xaxim, na Linha Verde. Ele morreu no dia 18 de novembro aos 24 anos. 

juri popular torcedor
Lucas Gonçalves chegou a ser socorrido, mas morreu dois dias depois (Foto: Reprodução/ RIC Record TV)

Deyvis Lourival Moreira da Silva Júnior, de 26 anos, se apresentou na Delegacia Móvel de Atendimento a Futebol e Eventos quase uma semana depois do crime, em 22 de novembro. Em depoimento, o torcedor negou os disparos

No dia 2 de dezembro, Dayvis foi preso pela Polícia Civil, e encaminhado para a Penitenciária de Piraquara. O júri popular foi marcado para o dia 27 de abril de 2021.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.