Segurança

Adolescente de 14 anos que estaria mantendo a mãe refém se rende na Grande Curitiba

O rapaz foi encaminhado para o hospital sem ferimentos; a mulher não quis gravar entrevista

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais com informações de Lucio André, da RIC Record TV Curitiba
Adolescente de 14 anos que estaria mantendo a mãe refém se rende na Grande Curitiba
Foto: Lucio André/RIC Record TV Curitiba

14 de setembro de 2021 - 16:29 - Atualizado em 14 de setembro de 2021 - 19:12

Após seis horas de negociação, o adolescente de 14 anos que estava cercado pela polícia em sua residência no bairro Jardim Paulista, em Campina Grande do Sul, na Região Metropolitana de Curitiba, se rendeu e foi apreendido sem ferimentos por volta das 16h desta terça-feira (14). As informações iniciais eram de que o jovem estava fazendo a mãe refém, mas a polícia não confirmou a situação. 

Policiais do Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE), do Centro de Operações e Inteligência (COI), da Polícia Militar, e equipes da Guarda Municipal isolaram a região durante toda a negociação com o rapaz.

“A mãe estava presente e num dado momento, acabou saindo dali por questões de segurança mesmo. Foi até importante essa atitude porque evitou-se um quadro mais complicado, com a saída dela facilitou a negociação”,

explicou o major Sérgio, do Bope.

De acordo com moradores da região, o caso começou pela manhã, quando o adolescente teve um surto e apontou uma arma para o próprio corpo. Na ocasião, a mãe do jovem tentou conversar com ele para impedir que ele tirasse a própria vida e, em seguida, ele teria começado a ameaçar a mulher. Foram eles que chamaram a polícia após ouvirem gritos de socorro e dois disparos de arma de fogo. 

A arma usada pertence ao padrasto do garoto. (Foto: Lucio André/RIC Record TV Curitiba)

Em conversa com a RIC Record TV, os vizinhos explicaram que o adolescente sofre de problemas psicológicos e não tem um bom relacionamento com o padrasto e com a mãe que está grávida. 

“Ele sempre foi uma pessoa isolada, ele sempre gostou de ficar no canto dele. Tipo assim, sempre gostou de ficar no quarto dele, isolado de tudo e de todo mundo, mas ele nunca mostrou sentimento de raiva, ódio ou por ninguém”,

explicou Eric Rodrigues. 

O jovem foi levado para o Hospital Angelina Caron e, na sequência, será encaminhado para a delegacia. 

Segundo informações colhidas no local, a arma usada pertence ao padrasto do adolescente e possui registro. 

A mãe não quis gravar entrevista.