Segurança

Acusado de matar e abandonar mulher dentro de guarda-roupa em estrada vai a júri

Defesa recorre da decisão; somente após a decisão final do Tribunal do Júri, será marcada uma data para o julgamento

Aline
Aline Cristina / Repórter
Acusado de matar e abandonar mulher dentro de guarda-roupa em estrada vai a júri
(Foto: Reprodução/ Ric Record TV)

5 de agosto de 2021 - 12:36 - Atualizado em 5 de agosto de 2021 - 12:36

Márcio dos Santos, de 25 anos, suspeito de matar Gisele da Costa em abril deste ano e ter abandonado o corpo em um guarda-roupas em uma estrada rural de Cascavel, será levado à júri popular. A defesa recorre da decisão.

A decisão da justiça foi tomada em audiência, que aconteceu na tarde de quarta-feira (04) entre as partes. Somente após a decisão final do Tribunal do Júri, será marcada uma data para o julgamento. 

“Agora vai para o Tribunal de Justiça para decidir se realmente vai para o Júri popular Depois, se o Tribunal decidir pela realização do júri, será marcada uma data para o julgamento final.”

Alex Fadel – promotor

Realizada por meio de videoconferência, a audiência deu voz a sete testemunhas, além do interrogatório do réu. A audiência serviu para confirmar as informações colhidas durante as investigações e que levaram o Ministério Público a denunciar Marcio dos Santos por três crimes: homicídio qualificado, ocultação de cadáver e furto. No entanto, a defesa recorreu da decisão do juiz.

“A estratégia da defesa é tirar as qualificadoras que foram apontadas pela denúncia do Ministério Público, que seja retirado esse excesso de acusação.”

Suelani Gondin advogada de defesa

Crime

Gisele foi encontrada morta em um guarda-roupa abandonado às margens de uma estrada rural de Cascavel. A jovem estava com sinais de asfixia. Pouco mais de 10 horas depois de encontrar o corpo, a polícia chegou ao suspeito. Márcio dos Santos e Gisele se conheceram por redes sociais, conversaram por aplicativo de mensagem e marcaram um encontro. 

Leia mais: Mulher encontrada dentro de guarda-roupa em Cascavel morreu por asfixia, diz MP

Durante a investigação, a polícia teve acesso à câmera de segurança de onde o rapaz morava. A imagem flagrou o momento em que ele, com a ajuda de um frete, carregou o móvel, onde estava o corpo da jovem. 

Quatro meses depois do crime, a família acompanha todo o desenrolar desse assassinato e agora, pede justiça.

  • Leia mais: Imagens mostram suspeito colocando guarda-roupa com mulher morta em carro

“Infelizmente as nossas leis não são suficientes para homens como eles. Ele já tinha sido preso, descumprido medidas protetivas, e assim mesmo estava na rua.”

Ana Paula Santos, irmã da Gisele