Notícias

Secretaria da Saúde do Paraná alerta sobre crescimento da dengue no estado

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

27 de fevereiro de 2019 - 00:00 - Atualizado em 27 de fevereiro de 2019 - 00:00

Sete municípios apresentaram nesta semana seus primeiros casos autóctones. (Foto: Divulgação/AEN)

Os casos autóctones (contaminação no próprio município) aumentaram de 346 para 483, espalhados em 70 municípios

Nesta terça-feira (26), a Secretaria da Saúde do Paraná (SESA) alertou a população sobre o crescimento dos registros de casos de dengue no estado. Segundo a secretaria, dois novos municípios entraram em alerta de epidemia de dengue na última semana epidemiológica – Itambé, no norte central do estado, e Moreira Sales, também na região central paranaense. Eles se somam a Uraí e Lupionópolis, que já estavam em situação de epidemia.

Casos autóctones de dengue

Os casos autóctones (contaminação no próprio município) aumentaram de 346 para 483, espalhados em 70 municípios. No total, entre importados e autóctones, o Paraná registra 536 casos (na última semana eram 391). As notificações, por seu lado, aumentaram 17%, de 9.777 para 11.475 casos suspeitos.

Um dos indicativos para este aumento é o resultado parcial do levantamento de infestação predial. Entre os 267 municípios que já realizaram o trabalho, a infestação piorou em 147. O que significa que mais focos de mosquitos transmissores foram encontrados nos imóveis visitados.

“A população tem um papel importantíssimo no combate à doença”, afirma a médica veterinária Ivana Belmonte, da Vigilância Ambiental. O ciclo de transmissão só vai ser interrompido se cada um fizer sua parte, cuidando de todo tipo de água parada nos quintais e dentro das casas, por menores que sejam.

A veterinária alerta ainda que o ciclo de transmissão deve se prolongar até maio, e o atual regime de chuvas complica bastante a situação, exigindo cuidado redobrado.

Sete municípios apresentaram nesta semana seus primeiros casos autóctones de dengue, o que confirma a circulação local do vírus – Santa Izabel do Oeste, Quedas do Iguaçu, Campo Mourão, Icaraíma, Guairacá, Alvorada do Sul e Bandeirantes.

Também os casos considerados graves da doença aumentaram – dois em Foz do Iguaçu e dois em Londrina.

O Paraná registrou ainda um novo caso de chikungunya na cidade de Foz do Iguaçu, mas trata-se de um caso importado; a contaminação ocorreu no Pará.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.