Saúde

Teste do Pezinho será capaz de diagnosticar até 50 doenças nos próximos anos

Até o momento, por meio do Teste do Pezinho, é possível diagnosticar apenas seis doenças de forma precoce

Caroline
Caroline Maltaca / Estagiária com informações da AEN
Teste do Pezinho será capaz de diagnosticar até 50 doenças nos próximos anos
Teste do Pezinho será capaz de diagnosticar até 50 doenças, nos próximos anos (Foto; Gilson Abreu/ANP)

7 de junho de 2021 - 17:10 - Atualizado em 7 de junho de 2021 - 17:10

Uma nova Lei Federal, já publicada em Diário Oficial, visa ampliar a lista de doenças diagnosticadas pelo Teste do Pezinho de seis para 50 enfermidades. De acordo com o Governo Federal, os estados terão o prazo de quatro anos para a implantação total do projeto. 

“Sempre que falamos no Teste do Pezinho estamos nos referindo à prevenção e proteção da vida dos recém-nascidos, para que cresçam e se desenvolvam com saúde”,

explicou o secretário da Saúde do Paraná, Beto Preto.

Segundo a nova Lei, em 2022 acontecerá a primeira etapa da ampliação com a entrada do diagnóstico de toxoplasmose congênita – doença infecciosa que pode provocar complicações em vários órgãos da criança. Na sequência, serão acrescentadas outras doenças relacionadas a erros metabólicos e, no prazo de quatro anos, deverão ser incorporadas todas as 50 enfermidades previstas na Lei.

A diretora de Atenção e Vigilância em Saúde do Paraná (Sesa/PR), Maria Goretti David Lopes, diz que a Secretaria seguirá as orientações do Ministério da Saúde para esta importante tarefa, aguardando ainda as recomendações quanto ao desdobramento de exames confirmatórios e indicações para tratamentos de muitas das doenças que serão incluídas no teste, pois quando se positiva algum caso é preciso que a rede SUS dê o apoio necessário e monitore o caso.

“Lembramos que o Teste do Pezinho é obrigatório em todo território e a Sesa orienta sobre a importância do exame em todos os serviços de atenção à mulher e à gestante”,

afirmou Goretti.

Junho Lilás

Junho Lilás é a campanha do mês destinada a conscientização da população sobre a importância do Teste do Pezinho. O exame, realizado no recém-nascido ainda na maternidade, é feito a partir do sangue coletado do pé do bebê e consegue apontar doenças genéticas e metabólicas que, se não tratadas adequadamente, podem trazer danos irrecuperáveis.

Atualmente, o Programa Nacional de Triagem Neonatal (PNTN) disponibiliza aos recém-nascidos por meio do Teste do Pezinho o diagnóstico precoce, tratamento e acompanhamento, totalmente gratuitos pelo Sistema único de Saúde (SUS), para as seguintes doenças: 

  • Fenilcetonúria;
  • Hipotireoidismo Congênito;
  • Fibrose Cística, Anemia Falciforme e outras hemoglobinopatias;
  • Deficiência de Biotinidase;
  • Hiperplasia Adrenal Congênita;

E, por meio de projeto de pesquisa, mais cinco distúrbios de oxidação de ácidos graxos.

O Serviço de Referência em Triagem Neonatal do Estado realizou em 2019 um total de 168.787 testes em recém-nascidos nas maternidades do Paraná. Em 2020 foram 166.835, e, de janeiro a maio deste ano, já foram realizados 71.356.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.