Saúde

Pandemia de covid-19 impacta também na saúde bucal da população brasileira

Segundo estudo, os efeitos dos adiamentos de consultas com dentistas e do estresse causada pela pandemia já são sentido por muitos pacientes em consultórios odontológicos

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais
Pandemia de covid-19 impacta também na saúde bucal da população brasileira
Foto: Pixabay

7 de abril de 2021 - 15:30 - Atualizado em 7 de abril de 2021 - 15:37

A pandemia do covid-19 iniciada em 2020 trará alguns reflexos também na saúde bucal da população, e não somente dos infectados pela doença, é o que diz a pesquisa de Ronaldo Hirata, odontólogo formado pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e atualmente professor do Departamento de Biomateriais e Cariologia da New York University (NYU), nos EUA. 

De acordo com o estudo, o adiamento de consultas, devido a característica de infecção do novo coronavírus por gotículas respiratórias, já está impactando no tratamento de pacientes em consultórios odontológicos. 

Menos da metade dos brasileiros (49,4%) consultou um dentista nos 12 meses anteriores à data da entrevista. As Regiões Norte e Nordeste apresentaram as menores proporções de pessoas que foram ao dentista (40,8% e 43,3%, respectivamente), enquanto as Regiões Sul e Sudeste, as maiores (55,8% e 53,0%).

Hirata ressalta que muitas vezes a espera por um momento considerado adequado para realizar a consulta com um dentista pode tornar um pequeno problema em algo considerado grave. Ele cita os tratamentos gengivais relacionados à doença periodontal, que necessitam um controle constante realizado pelo profissional, antes que perda óssea e, muitas vezes, dentais sejam inevitáveis. 

Síndrome do Stress da covid-19

Ainda conforme o odontólogo, a Síndrome do Stress da covid-19, que afeta grande parte da população mundial atualmente, se reflete também na saúde bucal de quem sofre. Isso porque o estresse se reflete em alguns sintomas bucais como: diminuição da salivação, o que causa um hálito mais desagradável e uma tendência ao acúmulo de placa bacteriana, que causará mais cáries e gengivite

Leia também: COVID-19, RESFRIADO, GRIPE, SINUSITE E RINITE: VEJA COMO DIFERENCIAR OS SINTOMAS

Um segundo reflexo clínico do estresse é o aumento da inflamação gengival causada pela piora da higiene bucal, e, eventualmente, o aumento de hábitos nocivos como cigarros. E ainda têm as aftas que surgem devido a baixa da imunidade do paciente

O bruxismo, ou o “ranger” e “apertar” os dentes, de forma diurna ou noturna, também é citado na pesquisa como consequência da ‘Síndrome do Stress da covid-19’. O que tem resultado em um índice recorde de fraturas dentais ocorridas pelo travamento da mandíbula cerrando os dentes com bastante força. “Dentes têm sido fraturados literalmente ao meio, somente pela força da mordida causada pelo estresse e ansiedade”, diz parte da publicação. 

Por fim, Hirata recomenda que a população não espere o fim da pandemia para procurar um dentista e que, mesmo sob forte situação de estresse, mantenha as rotinas de higiene bucal. Segundo ele, essas são as únicas formas de evitar problemas irreversíveis e até um possível remorso por deixar uma situação de menor importância se tornar um grande problema. 

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.