Saúde

Embaixada da China revela que Cazaquistão tem surto de doença mais mortal que covid-19

Vírus teria causado mais de 1.700 mortes no primeiro semestre, porém, Ministério da Saúde do Cazaquistão desmente

Guilherme
Guilherme Becker / Editor com informações do tabloide Global Times
Embaixada da China revela que Cazaquistão tem surto de doença mais mortal que covid-19
(Foto: Reprodução/ Xinhua)

10 de julho de 2020 - 14:32 - Atualizado em 10 de julho de 2020 - 14:32

Uma revelação da embaixada da China no Cazaquistão despertou atenção para um possível novo vírus, mais mortal que o Sars CoV-2, vírus causador da covid-19, no país vizinho. De acordo com informações dos representantes chineses, ditas nesta quinta-feira (9), uma pneumonia desconhecida já causou 1.772 mortes no primeiro semestre deste ano, sendo 35% delas somente no mês de junho.

Já nesta sexta-feira (10), o Ministério da Saúde do Cazaquistão, representado por Aleksey Tsoy, publicou que o país segue monitorando as pneumonias existentes, de acordo com a orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS). Além disso, relatou a existência de pneumonias bacterianas, fúngicas, virais e não especificadas, que comprovam que os relatos chineses são falsos.

China alerta para novo vírus no Cazaquistão

O embaixador da China no Cazaquistão, Zhang Xiao, informou nesta quinta-feira (9) que chineses morreram no país devido a uma pneumonia desconhecida. No mesmo dia, uma agência de notícias cazaque publicou uma notícia que o número de pacientes infectados com este novo vírus “é duas a três vezes maior que a da COVID-19“, entretanto a publicação foi apagada em seguida.

Entre as vítimas desta pneumonia desconhecida estão chineses.

“As autoridades locais de saúde devem indicar claramente qual é a situação dos pacientes. Também é provável que as autoridades locais não tenham capacidade para diagnosticar o COVID-19”, declarou o especialista em doenças respiratórias do Hospital da Universidade de Pequim, Wang Guangfa, ao Global Times.

Autoridades da China ainda destacam que o Cazaquistão possui dificuldades para detectar e combater o coronavírus. Em algumas regiões do país, pacientes com a covid-19 são tratados nos mesmos espaços que pessoas sem a doença, todos sem máscaras de proteção.

novo virus no cazaquistao
Foto do arquivo: VCG

O professor Jin Dongyan, da Faculdade de Ciências Biomédicas da Universidade de Hong Kong, revelou ao Global Times, que chineses que estavam no Cazaquistão e retornaram para a China apresentaram o vírus da covid-19, porém, não de outras pneumonias. Diante disto, é possível que os casos no país vizinho sejam de coronavírus, porém, o Cazaquistão está com dificuldades para identificar.

Nesta sexta-feira (10), o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Zhao Lijian, declarou que aguarda mais informações do Ministério da Saúde cazaque para auxiliar no combate e salvar vidas.