Saúde

Mulher é internada após comer sushi

Jovem de 27 anos foi diagnosticada com Síndrome de Haff

Carol
Carol Machado / Produtora Com informações do R7
Mulher é internada após comer sushi
Foto: Pixabay

14 de julho de 2021 - 14:08 - Atualizado em 14 de julho de 2021 - 14:08

Uma mulher de 27 anos está internada em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em estado grave, em Goiás. A internação ocorreu após ela ingerir sushi em um restaurante local. A jovem contraiu uma doença chamada de “doença da urina preta” que os médicos chamam de “Síndrome de Haff”. 

No dia 23 de julho, a jovem Kelly Silva comeu em um restaurante japonês na cidade de Goianésia. Segundo o comunicado da Secretaria Municipal de Saúde, ela começou a passar mal logo após  a ingestão do sushi e foi levada ao hospital onde foi diagnosticada com a doença rara.

De acordo com os médicos, a Síndrome de Haff é uma doença rara causada pela ingestão de peixes e crustáceos mal conservados. Segundo os especialistas, os sintomas mais comuns da doença são: dores no corpo, dificuldade para andar, dormência no corpo, e alteração da cor e quantidade de urina.

Ainda não existe um remédio que neutralize a ação da toxina presente nos peixes e crustáceos, por isso o tratamento é clínico, ou seja, são utilizados remédios para tratar os sintomas.

A recordação médica é procurar um serviço de saúde assim que os primeiros sintomas surgirem, pois quanto mais rápido a descoberta da doença há mais chances de se curar. A doença pode levar à morte pois afeta os rins e se ocorrer uma insuficiência renal grave sem chances de reversão o paciente não resiste.

Não há como prevenir a doença e ela não é de fácil identificação, pois a toxina não altera cor, cheiro ou gosto dos alimentos. Além disso, não é encontrada somente no consumo cru das comidas. O cozimento não neutraliza a toxina. Portanto, é altamente recomendado buscar estes alimentos em locais conhecidos.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.