Saúde

Governo emite alerta sobre importância da vacinação de crianças contra a pólio

Até o momento, apenas 76% do público alvo que precisa ser imunizado tomou a vacina; a porcentagem precisa chegar a 95%

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais com informações da AEN
Governo emite alerta sobre importância da vacinação de crianças contra a pólio
Foto: Venilton Kuchler/Arquivo

26 de novembro de 2020 - 14:57 - Atualizado em 26 de novembro de 2020 - 14:59

A Secretaria de Estado da Saúde do Paraná emitiu um alerta para os pais e responsáveis por crianças de 12 meses até 5 anos, nesta quinta-feira (26), para que levem as crianças para fazerem a vacinação tanto contra a poliomielite, como para outras doenças que também podem levar a morte. 

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite vai até segunda-feira (30) e está disponível em 1.850 salas distribuídas em todos os municípios do estado. O órgão também ressalta a importância de que as crianças estejam com a caderneta de vacinas atualizadas a fim de evitar que doenças consideradas já erradicadas voltem a vitimar a população. 

“Reafirmamos que a vacinação contra a pólio e contra outras graves doenças é fundamental para a saúde. Alertamos os paranaenses também para a questão das doenças consideradas erradicadas, que podem voltar a qualquer momento. Foi o que aconteceu com o sarampo, que voltou a registrar casos depois de 20 anos”, afirma o secretário estadual da Saúde, Beto Preto.

Poliomielite 

O Paraná não registra casos de pólio desde 1986, mas para que a população esteja totalmente protegida é preciso atingir 95% de 583 mil crianças na faixa de 1 ano até menores de 5 anos.

“Até o momento, o Paraná apresenta a cobertura vacinal de 76% desta faixa, o que indica que milhares de crianças ainda precisam receber a dose”, afirma a diretora de Atenção e Vigilância em Saúde da Secretaria, Maria Goretti David Lopes.

A poliomielite, que é a chamada paralisia infantil, é uma doença infectocontagiosa viral aguda e pode levar a morte ou mesmo deixar sérias sequelas nas pessoas que a contraírem. Ela age, primeiramente, atacando o sistema nervoso e destruindo os neurônios motores até provocar a paralisia nos membros inferiores. 

Sarampo

O Sarampo já foi considerado erradicado, mas pela falta de vacinação voltou a infectar a população, o que acabou causando um surto da doença no Paraná.  Entre agosto do ano passado e agosto deste ano o estado totalizou 1.976 casos. Uma pessoa contaminada pode transmitir para outras 18. 

Conforme o governo estadual, a situação foi controlada e o surto de Sarampo no Paraná foi considerado finalizado em setembro, depois de completar 90 dias sem registro de novos casos.

Para estar imunizado contra o sarampo é preciso receber duas doses da Vacina Tríplice Viral entre 1 ano e 29 anos. Entre 30 a 59 anos a imunização acontece com dose única.

A Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo, também segue em todo Estado até dia 18 de dezembro e nesta fase é dirigida às pessoas na faixa de 20 a 29 anos.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.