Saúde

Diabéticos: saiba como evitar as complicações causadas pela COVID-19

Existem aliados para atravessar este momento difícil

Carol
Carol Machado da equipe de estágio RIC Mais, sob supervisão de Larissa Ilaídes
Diabéticos: saiba como evitar as complicações causadas pela COVID-19
Imagem: Freepik

24 de junho de 2020 - 11:42 - Atualizado em 24 de junho de 2020 - 11:42

A pandemia provocada pelo novo coronavírus coloca todos em estado de alerta e, consequentemente, cuidado. Diabéticos aparecem como os mais suscetíveis às possíveis complicações causadas pela COVID-19 e não ao vírus, propriamente dito.

Contudo, existem aliados para atravessar este momento de forma mais amena. O médico endocrinologista especialista em diabetes, Mauro Scharf, explica que o controle da glicemia é a “chave do sucesso” para evitar demais complicações causadas por este e por outros vírus. 

“O risco pode ser muito menor e quase igual ao das pessoas sem diabetes se os níveis de açúcar no sangue estiverem controlados, ou seja, é fundamental que haja o monitoramento frequente da glicemia e a manutenção do tratamento prescrito pelo médico que acompanha o paciente”.

Segundo Scharf, que também é diretor da Unimed Laboratório, as altas taxas de açúcar no sangue também podem prejudicar a imunidade e o controle se faz ainda mais importante nesta época do ano.

“No caso do novo coronavírus, o paciente que monitora a glicemia, faz uso adequado da medicação oral e/ou insulina, tem uma alimentação equilibrada e faz exercícios físicos (ainda que em casa), tende a ter menos riscos à sua saúde”, completa.

Para garantir maior tempo dentro do alvo, isto é, o maior tempo do dia com a glicemia adequada e estável, o especialista que é recomendado aumentar a frequência dos testes.

“Normalmente intensificamos o monitoramento da glicemia em momentos especiais, como a mudança de medicação, alterações na rotina do paciente ou com doença e mal-estar, por exemplo. Os testes devem ser feitos sempre antes das refeições, principalmente naqueles que tem diabetes do tipo 2 ou usam medicação e antes e depois das refeições para pacientes com o tipo 1 ou com diabetes gestacional”.

Porém, o médico lembra que alguns cuidados são essenciais para a garantia dos resultados dos exames.

“Em tempos onde o álcool gel é o melhor amigo para a prevenção, ele também pode ser prejudicial. Você deve pensar, mas como assim, prejudicial? Sim, ele pode prejudicar se usado para higienização prévia dos dedos antes da punção capilar, pois além do tempo de secagem das mãos, o álcool gel forma uma película que pode interferir no resultado do exame”, conta Mauro Scharf, reforçando que o ideal é a lavagem das mãos com água e sabão ou uso de álcool 70% (líquido) no local da punção e deixar secar bem antes do teste de glicemia.

Outro ponto muito importante neste momento é a continuidade dos tratamentos, exatamente como prescrito pelo especialista. O mesmo vale para remédios para o coração, pressão alta, colesterol e afins. Segundo o médico, seguir adequadamente prescrito é uma ótima maneira de reduzir o risco de complicações relacionadas ao diabetes e à COVID-19 além de promover o bem-estar.

Por fim, ele lembra que o diabetes, como qualquer outra doença, sofre influência de fatores psicológicos, pois o estresse também influencia na taxa glicêmica. 

Nesse sentido, em tempos de isolamento social, é importante buscar um equilíbrio entre corpo e mente, cuidando de todos os aspectos necessários para manter-se bem.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.