Coronavírus

Veja como está a preparação de Curitiba para receber doses da vacina Pfizer

Os imunizantes produzidos pela Pfizer adquiridos pelo Brasil serão prioritariamente usados pelas capitais

Daniela
Daniela Borsuk com Prefeitura de Curitiba
Veja como está a preparação de Curitiba para receber doses da vacina Pfizer
(Foto: Luiz Costa/ SMCS)

29 de abril de 2021 - 12:11 - Atualizado em 29 de abril de 2021 - 12:11

Nesta quinta-feira (29), a Prefeitura de Curitiba deu mais detalhes sobre como está a preparação da cidade para receber as 32.7960 doses da vacina contra a covid-19 produzidas pelo laboratório Pfizer.

Conforme informações exclusivas obtidas pelo repórter Eduardo Scola, da RIC Record TV, na noite de quarta-feira (28), com a secretária de saúde de Curitiba, Márcia Huçulak, as doses devem chegar na cidade na semana que vem e vão precisar de um cuidado diferente dos imunizantes que já estavam sendo distribuídos na capital.

Os imunizantes produzidos pela Pfizer adquiridos pelo Brasil serão prioritariamente usados pelas capitais, devido à estrutura de maior complexidade exigida para condicionamento e manuseio.

Com as novas doses, Curitiba vai dar continuidade ao Plano Municipal de Imunização, vacinando idosos e profissionais de saúde que ainda não tenham sido atendidos.

Estrutura

A vacinação com o imunizante da Pfizer ficará concentrada no Pavilhão da Cura, no Parque Barigui, onde será preparada estrutura para o armazenamento das doses. O pavilhão tem uma sala de vacinas climatizada que possibilita a preparação do imunizante para uso.

Segunda a secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak, essa é a estratégia definida pelo município para garantir o uso da vacina de forma adequada e evitar desperdícios ou perda de doses.

“Sabemos que é uma vacina mais complexa, mas temos que fazer uso de todos os imunizantes disponíveis para acelerar a proteção da população. Curitiba está preparada para receber e aplicar, seja qual for a vacina que o Ministério disponibilize”.

disse Márcia. 

Preparação

Na tarde desta quinta-feira (29), técnicos da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) passarão por uma capacitação on-line organizada pelo Programa Nacional de Imunização, para orientações de preparação e aplicação da nova vacina.

O imunizante exige armazenamento inicial de -70ºC e deve passar por um delicado processo de descongelamento para o uso final. Outra diferença desse imunizante é que após descongelado ele precisada ser diluído em solução injetável de cloreto de sódio 9 mg/ml (0,9%). Após a diluição a vacina deve ser utilizada em, no máximo, seis horas.

Para a aplicação também são necessárias seringas e agulhas específicas, as chamadas seringas de alta precisão. Para o primeiro lote comprado pelo país, 1 milhão de doses, o Ministério da Saúde informou que irá entregar, com os imunizantes, os insumos necessários – diluente, seringa e agulha.

Para as próximas remessas que possam vir, a aquisição dos insumos ficará por responsabilidade dos municípios que aceitarem usar o imunizante.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.