Coronavírus

Variante britânica pode “varrer” o mundo

A variante já foi encontrada em 60 países

Carol
Carol Machado / Estagiária da equipe de estágio sob supervisão de Guilherme Barchik
Variante britânica pode “varrer” o mundo
Foto: REUTERS/Phil Noble

15 de fevereiro de 2021 - 09:49 - Atualizado em 15 de fevereiro de 2021 - 09:49

O novo coronavírus já matou aproximadamente 2,4 milhões de pessoas no mundo. E de acordo com estudo recentes, há uma variante britânica nomeada B.1.1.7 que pode ser ainda mais letal do que o vírus que já conhecemos.

De acordo com The New York Times, as informações são de cientistas do Reino Unido, porém não foi divulgada de forma pública pelo governo britânico, ela teria sido colocada em uma reunião fechada de assessores do governo.

Ainda segundo o jornal estrangeiro, o estudo a que o governo teria tido acesso estima que a variante pode ser de 30% a 70% mais letal que o vírus padrão.

Os motivos para a maior letalidade da variante ainda estão sendo investigados. Uma das teorias, é que existe uma carga viral mais elevada, o que pode dificultar determinados tipos de tratamentos.

A chefe do programa de vigilância genérica do Reino Unido, Sharon Peacock, fez um anúncio inesperado em entrevista à BBC. Segundo ela, a variantes britânica pode varrer o mundo.

De acordo com Peacock, a humanidade irá precisar de pelo menos 10 anos para controlar o vírus.

A grande preocupação com relação à variante B.1.1.7 é com o seu alto poder de transmissão. A variante foi encontrada pela primeira vez ainda em setembro do ano passado, na Inglaterra, e atualmente já foi detectada em mais de 60 países, inclusive no Brasil.

Os especialistas acreditam que essa variante pode estar passando por novas mutações, o que pode comprometer a eficácia das vacinas.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.