Coronavírus

Vacinação em massa em Serrana reduz mortes por Covid em 95%, mostra estudo

Serrana é cercada por cidades que ainda enfrentam aumento de casos de Covid; Ribeirão Preto, a 25 km de Serrana, passa por uma quarentena rígida

Reuters
Reuters
Vacinação em massa em Serrana reduz mortes por Covid em 95%, mostra estudo
Enfermeira segura dose da CoronaVac em São Paulo

31 de maio de 2021 - 08:31 - Atualizado em 31 de maio de 2021 - 09:50

Por Tatiana Bautzer

SÃO PAULO (Reuters) – A cidade de Serrana, no interior de São Paulo, registrou queda de 95% nas mortes por Covid-19 após concluir a vacinação de quase todos os adultos com a CoronaVac, de acordo com um estudo divulgado pela Record TV neste domingo (30).

Com 45 mil habitantes, Serrana se tornou um oásis no Brasil, país que tem o segundo surto mais letal de Covid no mundo, com mais de 461 mil mortes até agora, e um ritmo de imunização lento devido à falta de vacinas.

Serrana foi objeto de estudo do Instituto Butantan, que produz a vacina CoronaVac, desenvolvida pela chinesa Sinovac Biotech, no Brasil. A pesquisa foi iniciada em fevereiro com o objetivo de vacinar toda a população adulta da cidade (cerca de 30 mil pessoas) para avaliar o impacto da imunização na pandemia de Covid-19.

No início da vacinação, a cidade enfrentava um aumento de casos de Covid, mas a disseminação do vírus foi contida depois que 75% da população foi imunizada, descobriram os cientistas.

Os pesquisadores dividiram a cidade em quatro áreas para tentar entender qual era o limite para conter a propagação do vírus e descobriram que a disseminação foi controlada depois que três áreas receberam a segunda dose.

O número de casos sintomáticos caiu 80% e as internações recuaram 86%. As mortes por Covid caíram 95%, segundo dados do Butantan divulgados pelo programa Domingo Espetacular. O instituto divulgará detalhes do estudo nesta segunda-feira (31).

Serrana é cercada por cidades que ainda enfrentam aumento de casos de Covid. Ribeirão Preto, a 25 km de Serrana, passa por uma quarentena rígida atualmente para tentar conter a disseminação da Covid-19.

Uma experiência semelhante está em andamento em Botucatu, também em São Paulo, sob coordenação do Ministério da Saúde. A expectativa é imunizar grande parte dos 148 mil habitantes com a vacina de Oxford/AstraZeneca.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.