Coronavírus

Vacina chega de barco para comunidade ribeirinha, na região Noroeste do Estado

Pelo menos 60 pessoas da comunidade ribeirinha já foram vacinadas com a primeira e a segunda doses, segundo secretário de Saúde de Icaraíma

Wilame
Wilame Prado / Repórter
Vacina chega de barco para comunidade ribeirinha, na região Noroeste do Estado
Ribeirinho tomando vacina às margens do rio. (FOTO: Secretaria de Saúde de Icaraíma)

27 de abril de 2021 - 12:39 - Atualizado em 27 de abril de 2021 - 12:39

Ao longo das margens do Rio Paraná e Rio Ivaí, na região Noroeste do Estado, habita uma população ribeirinha composta por aproximadamente 350 pessoas. Para vaciná-los contra a covid-19, equipes de saúde do município de Icaraíma têm mobilizado uma logística envolvendo transporte marítimo e terrestre.

Leia mais: Médico maringaense ajuda famílias ribeirinhas em barco na Amazônia

A imagem da vacina chegando de barco graças ao trabalho de um pescador da região chamou a atenção esta semana, e o secretário de Saúde de Icaraíma, Laércio Fernandes, calcula que pelo menos 80 pessoas já tomaram a primeira dose e 60 pessoas também já tomaram o reforço da segunda dose.

Às margens dos rios, mais precisamente em Porto Camargo, Porto Novo e Porto Jundiaí, há localidades de difícil acesso. “Os ribeirinhos não podem mais habitar as ilhas, pois é proibido. Por isso, residem ao longo dos rios, com acessos feitos por picadas e carreadores bem estreitos, só dá para chegar a pé em alguns casos”, explica o secretário.

Fernandes conta que a maioria da população ribeirinha tem entre 45 e 60 anos, e a expectativa é de continuar vacinando contra a covid-19 conforme os lotes de vacina sejam disponibilizados via Governo Federal.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.