Coronavírus

Sesa confirma três navios em quarentena por Covid-19 no Porto de Paranaguá

Os três cumprem quarentena de pelo menos 10 dias na Baía de Paranaguá e são monitorados pela Anvisa.

Giselle
Giselle Ulbrich
Sesa confirma três navios em quarentena por Covid-19 no Porto de Paranaguá
Foto (ilustrativa): Claudio Neves/Portos do Paraná

30 de julho de 2021 - 17:25 - Atualizado em 30 de julho de 2021 - 17:27

Autoridades de saúde e a administração dos Portos de Paranaguá confirmaram, na tarde desta sexta-feira (30), que há três navios com tripulação em quarentena por Covid-19 na Baía de Paranaguá. Inicialmente, havia informação de apenas um deles, o Meghna Princess, de Bangladesh, que teve um tripulante que testou positivo e foi encaminhado a um hospital do litoral.

Conforme nota divulgada pela administração da empresa Portos do Paraná, que maneja os portos de Paranaguá e Antonina, a situação está sendo monitorada tanto pela empresa, quanto pela Secretária de Estado da Saúde (Sesa), Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) e a Vigilância Epidemiológica de Paranaguá.

Todos os tripulantes foram testados e até o momento 23 tiveram exames positivados para a doença. Destes, 21 pacientes estão assintomáticos e permanecem em isolamento no navio, sendo acompanhados e monitorados. Outros dois tripulantes foram levados ao Hospital Regional de Paranaguá para receber os devidos cuidados e tratamento para Covid-19.

Os exames positivos já estão em domínio da Vigilância Epidemiológica e serão enviados ao Laboratório Central do Estado (Lacen) para realização da genotipagem viral.

Navios

Além do Meghna Princess, também tiveram tripulantes testados e colocados em quarentena o Navio MV Astakos (bandeira maltesa) estava atracado em um dos berços do píer do terminal privado, onde descarregava fertilizantes. A embarcação chegou no último domingo (25). Por determinação da Anvisa o navio desatracou no dia seguinte, dia 26, quando começou a cumprir a quarentena de 10 dias, ao largo.

Já o Meghna Princess carregava soja no berço 213, na terça-feira (27). O navio Redhead (Antígua e Barbuda) carregava açúcar no berço 201, desde domingo (25). Ambos tiveram os casos de Covid detectados somente na quinta-feira (29)

A autoridade portuária esclareceu que, no momento das atracações dos navios, não havia registro de nenhuma suspeita de Covid-19. O único navio que permaneceu um período atracado, após a notificação, para remoção de tripulantes, foi o Meghna Princess. Tão logo os doentes foram removidos, a embarcação foi para a área de fundeio.

Os três navios cumprem, por orientação da Anvisa, quarentena de 10 dias. O monitoramento da saúde de todos os tripulantes é de responsabilidade das agências marítimas e da Anvisa.

https://ricmais.com.br/noticias/coronavirus/