Coronavírus

Reino Unido tem mais de 100 mil mortes por Covid-19 e prevê muito mais no futuro

Ainda haverá muitas mortes até o programa de vacinação começar a surtir efeito, disse a principal autoridade médica da Inglaterra

Reuters
Reuters
Reino Unido tem mais de 100 mil mortes por Covid-19 e prevê muito mais no futuro
Trabalhadores cavam sepulturas em um cemitério, em meio à propagação da pandemia da doença coronavírus (COVID-19), em Londres, Reino Unido

26 de janeiro de 2021 - 17:20 - Atualizado em 26 de janeiro de 2021 - 17:34

O número de mortos da pandemia de coronavírus no Reino Unido ultrapassou 100 mil nesta terça-feira (26), e o governo está lutando para acelerar a vacinação e conter a disseminação das variantes do vírus.

Ainda haverá muitas mortes até o programa de vacinação começar a surtir efeito, disse a principal autoridade médica da Inglaterra.

O Reino Unido tem o quinto maior número de mortos da Covid-19, e relatou mais 1.631 fatalidades e 20.089 casos nesta terça-feira.

O número de 100.162 mortes é mais do que o total de óbitos de civis britânicos na Segunda Guerra Mundial e o dobro dos mortos da campanha de bombardeio alemã de 1940-41.

“É difícil computar a tristeza contida nesta estatística sombria, os anos de vidas perdidas, as reuniões familiares a que não se irá, e para muitos parentes a chance perdida, até para dizer adeus”, disse o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson. “Faremos o necessário para aprender as lições, refletir e nos preparar”, disse Johnson, cujo governo tem sido muito criticado pela maneira como lida com a crise.

A Inglaterra, de longe a mais populosa das quatro nações do Reino Unido, voltou a um lockdown nacional no dia 5 de janeiro que inclui o fechamento de pubs, restaurantes, lojas não-essenciais e escolas para a maioria dos alunos. Novas restrições de viagem também foram adotadas.

Em dezembro, o Reino Unido se tornou o primeiro país do mundo a aprovar a vacina contra Covid-19 da Pfizer. Até agora, 6.853.327 pessoas receberam a primeira dose e 472.446 a segunda dose.

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH0P1F0-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.