Coronavírus

Vereadores pedem a reabertura de casas de festas e buffets infantis em Curitiba

O requerimento justifica o pedido pelo “momento de estabilidade” da pandemia na capital e prejuízos causados aos profissionais do setor

Caroline
Caroline Berticelli / Editora
Vereadores pedem a reabertura de casas de festas e buffets infantis em Curitiba
Foto: Ilustrativa/Pixabay

26 de agosto de 2020 - 16:21 - Atualizado em 26 de agosto de 2020 - 16:47

A Câmara Municipal de Curitiba aprovou, durante a sessão plenária virtual desta terça-feira (25), um requerimento para que as casas de festas e buffets infantis sejam reabertos em Curitiba. A sugestão deve ser enviado à prefeitura e só poderá ocorrer diante da autorização da Secretaria de Saúde. 

De acordo com o autor da sugestão, Mauro Ignácio (DEM), o pedido foi motivado porque a pandemia passa por um “momento de estabilidade” na capital paranaense. Além do fato de que empresários e demais profissionais que atuam no ramo de festas e eventos estão sendo penalizados com as medidas restritivas e de distanciamento social.

“Os buffets infantis, em sua grande maioria, têm capacidade de oferecer estruturas seguras à realização de comemorações festivas, a exemplo dos restaurantes, bares e lanchonetes, os quais já contam com protocolos de segurança ativos e estão permitidos ao trabalho”, argumenta.

O documento sugere que após reabertos, os estabelecimentos obedeçam um protocolo  específico, que viria a ser elaborado, de prevenção à Covid-19. Entres as medidas sugeridas estão a limitação do número de pessoas autorizadas a participarem das comemorações e cuidados com a higienização.

Música ao vivo

Outro requerimento de sugestão dos vereadores ao Executivo é a permissão para música ao vivo em bares, restaurantes e afins. 

Segundo a proposta, de iniciativa dos vereadores Dr. Wolmir Aguiar (Republicanos), Ezequias Barros (PMB) e Tico Kuzma (Pros), a medida deve beneficiar tanto artistas como equipe de técnicos, montagem, logística, entre outros que estão hoje impedidos de trabalhar.

 “Considerando que a maioria são autônomos, o prejuízo de cada família é ainda maior”, justificam os proponentes.

Assim como a reabertura das casas de festas, a volta da música ao vivo em estabelecimentos de Curitiba depende do aval da Secretaria de Saúde.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.