Coronavírus

Prefeitura de Matinhos nega venda de lugar na fila de vacinação contra a Covid-19

Segundo nota da administração municipal, senhas foram distribuídas para impedir a tentativa de burlar a ordem de chegada para a aplicação da vacina

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais
Prefeitura de Matinhos nega venda de lugar na fila de vacinação contra a Covid-19
Foto: Divulgação / Prefeitura de Matinhos

21 de junho de 2021 - 17:27 - Atualizado em 21 de junho de 2021 - 21:22

A Prefeitura de Matinhos, no litoral do Paraná, se manifestou durante a tarde desta segunda-feira (21) sobre um boato de que pessoas teriam vendido seus lugares na fila de vacinação contra a Covid-19 no município. 

De acordo com o Executivo, ainda na noite de domingo (21), foi feita uma denúncia de que pessoas que já haviam posicionado seus carros na fila de vacinação estariam vendendo lugares para terceiros. No mesmo momento, para combater a possível fraude, a Secretaria de Saúde passou a emitir senhas que impediam a tentativa de burlar a ordem de chegada para a aplicação da vacina.

Horas na fila da vacina

Segundo a Secretaria da Saúde de Matinhos, o município recebeu 510 novas doses de vacina contra a Covid-19 para serem destinadas à pessoas com 35 anos completos ou mais a partir das 9h desta segunda. No entanto, ainda na noite de domingo, vários veículos e pessoas a pé começaram a formar a fila da vacinação

Diante da situação, funcionários municipais foram até o local para manter a organização da fila. A secretaria ainda ressalta que não orientou a população para “formar fila com tanta antecedência, todavia era mister respeitar a fila que já havia sido formada”. 

Ao todo, foram distribuídas 400 senhas para os carros que estavam na fila, e 110 senhas para pessoas que fizeram fila sem os carros. Ainda conforme a administração municipal, a última senha foi distribuída precisamente às 08:35h desta segunda e não durante a madrugada de domingo. 

Polêmica

Na última semana, Matinhos passou a exigir a apresentação do título de eleitor na hora da vacinação contra a Covid-19. A medida foi tomada para impedir que pessoas que possuem casa na cidade litorânea, mas vivem em outros municípios, recebessem o imunizante no lugar da população local.

Apesar da boa intenção, a exigência gerou críticas por parte de pessoas que moram em Matinhos, mas não votam na cidade. Atualmente, são aceitos o título de eleitor ou um comprovante de residência.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.