Coronavírus

Curitiba já gastou R$ 823 milhões no combate à pandemia

Entre as principais ações na qual os repasses foram feitos estão para a área de saúde, transporte público e assistência social

Caroline
Caroline Maltaca / Estagiária com informações da Prefeitura Municipal de Curitiba
Curitiba já gastou R$ 823 milhões no combate à pandemia
Cesta básica (Foto: Folha Z)

26 de maio de 2021 - 19:44 - Atualizado em 26 de maio de 2021 - 19:44

Os recursos utilizados para conter o agravamento da pandemia do novo coronavírus, em Curitiba, custaram R$ 823 milhões. Os valores, fruto de recursos próprios e repasses, foram utilizados especialmente em medidas da área de saúde, no transporte público e na assistência social durante os últimos meses.

O secretário de Planejamento, Finanças e Orçamento, Vitor Puppi, apresentou o balanço dos repasses e gastos com a covid-19 durante audiência remota nesta quarta-feira (26) para apresentação de resultados financeiros do primeiro quadrimestre de 2021 na Câmara Municipal de Curitiba.

Segundo ele, as transferências e as receitas próprias do município para o enfrentamento da pandemia, entre março de 2020 e maio deste ano, totalizaram R$680,3 milhões.

Para fazer frente ao total de R$ 823,25 milhões em despesas, houve suplementação de recursos, por exemplo, do Funrec. Somente para a Saúde projeta-se uma suplementação de R$ 171 milhões em 2021, recursos que poderão ser aplicados em abertura de leitos, compra de insumos e equipamentos, dentre outros.

“Curitiba é a única cidade do país a ter um instrumento como esse, que permite proteger os serviços públicos em momentos de crise. Ele é uma ferramenta importante para o momento em que vivemos e também para o futuro, em eventuais crises que poderão aparecer”,

disse Puppi.

Durante a audiência, o secretário também apresentou as principais medidas adotadas para combater os efeitos da pandemia nos últimos meses. De acordo com ele, Curitiba contribuiu, com recursos próprios para fazer frente às mais variadas despesas. 

Medidas que a prefeitura adotou, além do gasto específico com saúde:

  • Unidades de Atendimento da Fundação de Ação Social (FAS);
  • Mesa Solidária;
  • Hotéis Sociais;
  • Hortas Urbanas;
  • Cestas Básicas;
  • Auxílio Emergencial;
  • Transporte Coletivo;
  • Fundo de Aval;
https://ricmais.com.br/noticias/saude/coronavirus/

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.