Coronavírus

“Estão no cemitério”, diz prefeito de Curitiba sobre pessoas que usaram tratamento precoce para Covid-19

“[Contra o] vírus não tem remédio ainda. Não há um antiviral para a covid-19. […] Não é o remédio de vermes, não é o remédio de malária. Até porque os que tomaram esse remédio, muitos estão no cemitério e há os que estão nos hospitais internados”, disse o prefeito de Curitiba

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais
“Estão no cemitério”, diz prefeito de Curitiba sobre pessoas que usaram tratamento precoce para Covid-19
(Foto: Foto: Ricardo Marajó/SMCS)

20 de janeiro de 2021 - 16:36 - Atualizado em 20 de janeiro de 2021 - 16:38

O prefeito de Curitiba, Rafael Greca (DEM), atacou o chamado “tratamento precoce” contra a covid-19. Nesta quarta-feira (20), durante a cerimônia que marcou o início da vacinação na cidade, Greca disse que “muitos que tomaram estão no cemitério”.

O suposto “tratamento precoce” é a defesa, sem embasamento científico, feita pelo presidente Jair Bolsonaro e pelo ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. Eles alegam, sem provas, que o uso de medicamentos como a cloroquina, a hidroxicloroquina e a ivermectina seriam eficazes na prevenção da covid-19. Nesta semana, porém, Pazuello negou ter indicado esses tratamentos. Neste mês, o ministério lançou um aplicativo que incentiva a prescrição desses medicamentos contra o novo coronavírus.

“[Contra o] vírus não tem remédio ainda. Não há um antiviral para a covid-19. […] Não é o remédio de vermes, não é o remédio de malária. Até porque os que tomaram esse remédio, muitos estão no cemitério e há os que estão nos hospitais internados”, disse o prefeito de Curitiba

A Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) e a Associação Médica Brasileira (ABM) emitiram nota conjunta nesta terça-feira, 19, para rechaçar a existência de um “tratamento precoce” contra o coronavírus. No texto, as entidades também afirmam que “a desinformação dos negacionistas” piora a “devastadora situação da pandemia em nosso País”.

Presidente Jair Bolsonaro com caixa de cloroquina do lado de fora do Palácio da Alvorada

Vacinação em Curitiba

A enfermeira Silvana Maria Bora, da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Boa Vista, foi a primeira moradora de Curitiba a receber a vacina Coronavac dentro do programa municipal de imunização.

O ato que marcou o início da vacinação na cidade foi realizado nesta quarta-feira (20), no Centro de Eventos Positivo, no Parque Barigui, chamado pelo prefeito Rafael Greca de “pavilhão da cura”.

Nesta quarta-feira, cerca de 250 profissionais da linha de frente foram vacinados, além de idosos que moram em casas de longa permanência, que serão imunizados in loco.

A expectativa da SMS é imunizar 12 mil profissionais de saúde nesta primeira fase.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.