Coronavírus

Nova variante: 25% das pessoas internadas, enfermaria ou UTI, vão a óbito

A estatística de óbitos, até então, era de 2% das pessoas que internavam em UTI. A nova variante do coronavírus está fazendo os gestores de saúde reverem os cálculos.

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

8 de março de 2021 - 21:35 - Atualizado em 8 de março de 2021 - 21:35

Resumo da matéria

Seria apenas um vírus que está “mutando”, ou uma “nova doença”? A ciência ainda não tem muitas respostas para a nova variante do coronavírus que está circulando no Brasil, chamada de P1. Mas a nova cepa vem preocupando os gestores de saúde, que ainda não sabem ao certo o que vai ser do sistema de saúde nos próximos dias.

Vinícius Filipak, diretor de Gestão em Saúde, na Secretaria Estadual de Saúde do Paraná (Sesa), conversou com a equipe de reportagem do RIC Notícias na tarde desta segunda-feira (08). Demonstrando angústia, ele disse, sobre a nova variante, que 25% das pessoas que internam no hospital, seja enfermaria ou UTI, vão a óbito (até então, a estatística de óbitos era de 2% de quem internava na UTI). “A despeito de todo o tratamento que recebam. Com medicamento A, B ou C, eles vão a óbito”, lamentou o diretor.

Filipak ainda revelou que houve um aumento de 85% nas internações. “Se internávamos 100 pessoas em UTI, em novembro do ano passado, agora em fevereiro, no mesmo período, estamos internando 185 pessoas“, alertou o gestor. A fila de pessoas aguardando um leito hoje, no Paraná, era de 1.071 pessoas, das quais 519 estão na fila da UTIs e 552 de enfermaria.

Mesmo com a ampliação dos leitos de enfermaria e UTI no Estado, a lotação – que chegou a 97% das UTIs SUS no Paraná, nesta segunda-feira – é preocupante. O Paraná tem, hoje, 1.490 leitos de UTI ativos, exclusivos COVID. “Isso é mais do que sempre tivemos em leitos de UTI para tratar todas as doenças. Mais que dobramos a capacidade do sistema de saúde para tratar a doença. Mas isso não é suficiente. Porque há mais pessoas doentes do que disponibilidade de leitos”, lamentou Filipak.

Veja o depoimento do gestor de saúde no Ric Notícias:

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.