Coronavírus

Médico é preso suspeito de matar pacientes com Covid-19 para liberar UTIs no hospital

O médico Carlo Mosca, 47 anos, foi preso acusado de ter assassinado dois pacientes com Covid-19 usando doses letais de anestésicos

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais com informações do Correio da Manhã
Médico é preso suspeito de matar pacientes com Covid-19 para liberar UTIs no hospital
(Foto: Reprodução)

26 de janeiro de 2021 - 21:18 - Atualizado em 26 de janeiro de 2021 - 21:18

O médico Carlo Mosca, 47 anos, foi preso na madrugada desta terça-feira (26) acusado de ter assassinado dois pacientes com Covid-19 usando doses letais de anestésicos. O caso aconteceu em março de 2020, na Lombardia, na Itália, epicentro da Covid-19 na Europa, na primeira onda.

De acordo com autoridades, o médico é suspeito de matar intencionalmente Natale Bassi, 61 anos, e Angelo Paletti, de 80 anos, com o objetivo de liberar espaço na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital de Montichiari, onde trabalhava como coordenador de urgência e emergência.

Durante as investigações, autoridades descobriram mensagens de Whatsapp entre os enfermeiros, que o denunciaram. “Não vou matar doentes só porque o médico quer libertar UTIs”, disse uma enfermeira em conversa com um colega de trabalho. “É uma loucura”, respondeu o colega por mensagem.

Segundo o jornal italiano Corriere de la Sera, o médico preparava dois medicamentos que costumam ser usados antes de entubar um doente e pedia aos enfermeiros que os administrassem.

Os corpos das vítimas eram enviados para autópsia na cidade de Pádua. O objetivo era evitar investigações. O médico está em prisão domiciliar, enquanto aguarda julgamento.

Confira mais informações no Correio da Manhã.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.