Coronavírus

Criança de 9 anos morre por síndrome associada à covid-19 em Minas Gerais

A vítima morreu seis dias após apresentar os primeiros sintomas da Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica (SIM-P)

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais com informações do R7
Criança de 9 anos morre por síndrome associada à covid-19 em Minas Gerais
Foto: Ilustrativa/Pixabay

2 de março de 2021 - 19:13 - Atualizado em 2 de março de 2021 - 22:47

Uma criança de 9 anos morreu de Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica (SIM-P), a doença rara é associada a covid-19, em Juiz de Fora, Minas Gerais. O óbito foi confirmado nesta terça-feira (2) pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES/MG). 

De acordo com a SES/MG, a morte ocorreu em 26 de outubro de 2020, mas a causa só foi confirmada agora, depois de um “amplo estudo do caso com encaminhamento de amostras clínicas para pesquisa de várias etiologias pelo Laboratório Central (Lacen) da Fundação Ezequiel Dias (Funed) e pelo Laboratório de Referência Nacional (LRN) da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz RJ)”.

A vítima, que não teve a identidadade ou sexo revelado, apresentou dores de cabeça e febre no dia 21 de outubro. Dois dias depois, em 24 de outubro, precisou ser internada e, no dia 25, após apresentar uma piora em seu quadro clínico, foi transferida para uma Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) onde morreu no dia seguinte. 

A SES também ressaltou que a morte da criança por Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica foi confirmada pelo Ministério da Saúde. 

Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica

Os sintomas da SIM-P costumam aparecer até quatro semanas após a exposição ao vírus em crianças e adolescentes de até 19 anos. Entre eles podem ser notados:

  • febre persistente,
  • conjuntivite,
  • edema em extremidades, 
  • manchas no corpo,
  • dor abdominal,
  • manifestações gastrointestinais (vômito e diarreia)
  • elevados marcadores inflamatórios, sendo que os sintomas respiratórios nem sempre estão presentes.

Entre 1° de abril de 2020 a 2 de janeiro de 2021, foram confirmados 646 casos de Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica no Brasil. Desses, 41 vítimas morreram

Em outubro de 2020, a Secretaria Estadual de Saúde do Paraná emitiu um alerta aos profissionais de saúde para que todos tivessem a atenção redobrada ao atenderem crianças e adolescentes. Já que a identificação precoce da síndrome pode salvar vidas. Na época, já haviam sido confirmados 13 casos de SIM-P e três mortes em decorrência da doença no estado.

Variante mais perigosa para crianças

De acordo com cientistas do Grupo de Aconselhamento sobre Ameaças de Vírus Respiratórios Novos e Emergentes (NERVTAG), a variação do novo coronavírus identificada no Reino Unido se espalha rápido e com mais força entre crianças e jovens do que outras cepas.

Para a professora Wendy Barclay, membro do Grupo de Aconselhamento sobre Ameaças de Vírus Respiratórios Novos e Emergentes, o vírus antes tinha maior dificuldade para infectar crianças, enquanto agora estaria com iguais condições entre adultos e os mais jovens. Ela explicou que a nova cepa teria capacidade maior de se conectar com células humanas para infectá-las.

“Não estamos dizendo que este é um vírus que visa especificamente crianças ou que seja mais específico em sua capacidade de infectar crianças, mas sabemos que a Covid não era tão eficiente em afetar crianças como era em adultos”, acrescentou.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.