Coronavírus

Covid-19: Oito cidades do Paraná devem explicar aplicação de vacinas inferior a 70%

Oito municípios do Paraná deverão prestar esclarecimentos para o Tribunal de Contas. Os principais objetivos do órgão são garantir um processo de vacinação ágil, eficaz e que respeite a ordem de prioridade

Daniela
Daniela Borsuk com informações do TCE-PR
Covid-19: Oito cidades do Paraná devem explicar aplicação de vacinas inferior a 70%
(Foto: Ari Dias/ AEN)

16 de julho de 2021 - 10:12 - Atualizado em 16 de julho de 2021 - 10:15

Até o final desta semana, oito municípios deverão explicar ao Tribunal de Contas do Estado do Paraná os motivos de um suposto baixo índice de aplicação das vacinas contra a Covid-19 recebidas da Secretaria de Estado da Saúde. As prefeituras notificadas apresentam índice de aplicação inferior a 70% dos imunizantes enviados, conforme dados do painel de vacinação do Ministério da Saúde, que é alimentado pelas próprias administrações municipais.

O levantamento foi concluído na última sexta-feira (9 de julho). A pior situação naquele dia era a de Palmeira (58,70%), seguida de Candói (64,25%), Colorado (66,47%), Ivatuba (67,03%), Doutor Ulysses (67,67%), São Pedro do Iguaçu (67,94%), Tunas do Paraná (68,02%) e Lapa (68,05%). Os ofícios foram enviados aos prefeitos ainda no dia 9, com prazo de cinco dias para o envio dos esclarecimentos.

 A medida integra o trabalho de fiscalização realizado pelo TCE-PR sobre o processo de vacinação no estado, iniciado ainda em janeiro, assim que as primeiras doses de imunizantes contra o coronavírus começaram a ser distribuídas e aplicadas na população. Os principais objetivos do Tribunal são garantir um processo de vacinação ágil, eficaz e que respeite a ordem de prioridade estabelecida pelas autoridades de saúde.

 No ofício enviado às oito prefeituras, por meio do Canal de Comunicação (CACO) – ferramenta eletrônica de diálogo institucional do TCE-PR com seus jurisdicionados – a Comissão de Acompanhamento de Gastos com a Covid-19 reafirma a necessidade de registro diário e de forma individualizada, no Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunização (SI-PNI), dos dados referentes à aplicação das vacinas.

Essa obrigatoriedade de alimentação diária do SI-PNI está prevista no artigo 15 da Lei nº 14.124/21. Já prevendo eventuais dificuldades de acesso ao sistema pela internet, o Ministério da Saúde recomenda que, quando isso ocorrer, os dados sejam lançados no prazo máximo de 48 horas após a aplicação, para garantir a rastreabilidade dos imunizantes.

No trabalho de acompanhamento do painel de vacinação, a equipe do TCE-PR apurou que a média estadual do índice de imunização da população em relação ao número de doses recebidas caiu de 89,23% para 85,97% entre 24 de junho e 9 de julho.

“Essa redução pode ter ocorrido pela ausência de registro ou o registro dos dados com atraso, em razão da aceleração do ritmo da vacinação”, pondera o coordenador-geral de Fiscalização do TCE-PR, Rafael Ayres. Devido a essa situação, o Tribunal reforça a recomendação às 399 prefeituras paranaenses para a atualização tempestiva do SI-PNI.

Veja as cidades com baixo índice de aplicação:

(Foto: Arte TCE-PR)

Portais da transparência

A cobrança aos municípios com baixo índice de vacinação é uma das iniciativas da comissão do TCE-PR que fiscaliza as ações tomadas pelos municípios para o enfrentamento à pandemia. Uma das iniciativas do Tribunal foi o envio de Orientação Técnica aos 399 prefeitos, cobrando medidas para melhorar a transparência dos dados à população, conforme determina a Lei nº 14.124/21.

Essa cobrança decorreu de avaliação dos portais da transparência dos municípios em relação às informações sobre o enfrentamento à Covid-19. A avaliação foi feita com base no Índice de Transparência da Administração Pública (ITP), desenvolvido pelo Tribunal.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.