Coronavírus

Beto Preto comenta transmissão da variante delta: “Temos que nos preparar, foco na vacina”

Secretário de Saúde declarou que não é mais possível “seguir o rastro do vírus”

Guilherme
Guilherme Becker / Editor
Beto Preto comenta transmissão da variante delta: “Temos que nos preparar, foco na vacina”
(Foto: Reprodução/ RIC Record TV)

29 de julho de 2021 - 08:54 - Atualizado em 29 de julho de 2021 - 08:54

O secretário de estado da Saúde, Beto Preto, participou na manhã desta quinta-feira (29) do programa Paraná no Ar, na RIC Record TV. Durante a entrevista com o apresentador Guilherme Rivaroli, o secretário esclareceu detalhes sobre o estágio da variante delta no estado, comentou sobre a vacinação e respondeu perguntas de telespectadores.

Nesta quarta-feira (28), a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), o Ministério da Saúde e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) confirmaram a transmissão comunitária da variante delta do coronavírus no Paraná, ou seja, o contágio já acontece entre pessoas sem histórico de viagem e sem que seja possível definir a origem da transmissão.

(Foto: Reprodução/ RIC Record TV)

“Momento diferente com a transmissão comunitária da variante delta, quando deixamos de identificar quem pegou de quem, quem passou para quem. No início conseguimos seguir o rastro do vírus, agora deixamos de conseguir fazer isso”,

comentou Beto Preto.

Apesar desse novo estágio da variante, o secretário comentou que as autoridades tratam com tranquilidade. Segundo Beto Preto, é hora de fazer uma blindagem da população para evitar casos graves. 

“Para você que não acredita em vacina: não acredite no ano que vem, esse ano você tem que vacinar […] A vacinação vai diminuir a circulação do vírus. É hora de fazer uma blindagem imunológica no povo paranaense”,

destacou Beto Preto.

“Grande combate é a vacina”

O secretário ainda destacou que não é possível fazer um prognóstico de como a variante delta evoluirá no estado. Até esta quarta-feira (28), foram confirmados 29 casos e 12 óbitos, sendo que 121 casos estão em análise.

“No início da pandemia a variante gama era pouco mais de 15%. Agora, os casos no Paraná são 80% dela”,

comentou Beto Preto.

Assista a entrevista completa: